A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

29/06/2013 10:40

Denúncia sobre celular, diz Ivandro, é retaliação por retenção de verbas

Zemil Rocha e Leonardo Rocha
Ivandro diz não haver discriminação devida em notas fiscais da Maternidade (Foto: Arquivo)Ivandro diz não haver discriminação devida em notas fiscais da Maternidade (Foto: Arquivo)

A guerra de acusações entre o secretário de Saúde de Campo Grande, Ivandro Fonseca, e o diretor-presidente da Maternidade Cândido Mariano, Alfeu Duarte de Souza, continua.

Depois da acusação de Alfeu de apropriação indébita de celular por parte de Ivandro, quando deixou a administração da maternidade para assumir a Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), agora o secretário diz que a acusação é “retaliação” em razão de ter retido repasses financeiros à unidade hospitalar em razão de irregularidades.

Neste sábado, durante mutirão no Centro de Especialidades Médicas (CEM), Ivandro Fonseca afirmou que a prestação de contas da maternidade não está em conformidade com a resolução 143 da Sesau. “Existem problemas na prestação de contas, que foram identificadas pelos auditores municipais”, revelou ele.

A Maternidade Cândido Mariano não estaria discriminando todos os procedimentos médicos nas notas fiscais. “Esta discriminação é recomendação do Ministério Público e da CGU (Corregedoria Geral da União)”, argumentou o secretário. “Além disso, eles (os dirigentes da maternidade) estão enfiando a prestação de contas no final do mês, ou seja atrasado”, acrescentou.

Essas irregularidades, segundo Ivandro Fonseca, levaram a Prefeitura de Campo Grande a deixar de fazer os repasses para a Maternidade Cândido Mariano. “Por isso, estamos retendo o recursos para a maternidade”, declarou.

Apropriação de celular – O presidente da Maternidade Candido Mariano, Alfeu Duarte de Souza, desmentiu ontem o secretário Municipal de Saúde, Ivandro Fonseca, garantindo que não autorizou que o celular funcional da instituição ficasse com ele após seu desligamento da unidade, em dezembro de 2012. Ivandro chegou a admitir que já entregou o celular e que vai pagar pelos seis meses de uso.

Neste sábado, o secretário garantiu que a acusação sobre apropriação indevida do celular decorre da retenção das verbas. “Esses ataques do Alfeu são de origem política e de retaliação”, garantiu. “Alfeu precisa perguntar para o Renato Cubel, que é o administrador da maternidade. Ele me deu autorização para continuar com o celular”, emendou.

Ivandro disse que o celular estava com ele há dois anos. “E eu quero ficar apenas com o número. Desde março, eu pedi a desfiliação do celular empresarial e a mudança para particular”, disse.

 



Tsc Tsc Tsc...
Quer dizer que se ele não tivesse retido verbas da Maternidade ele ia poder ficar com o celular????? É isso que ele quis dizer???? Meu Deus que absurdo!!!
Se fosse um funcionário pobre que não tivesse devolvido o celular no mesmo dia do desligamento provavelmente teriam ido buscar em sua casa pessoalmente (talvez até com B.O e policiais)... É cada absurdo que a gente vê!!!!!
 
Renatinha Antunes em 01/08/2013 22:33:54
Eu pensei que só trombadinhas roubassem celulares...
 
JOSE RODRIGUES em 23/07/2013 23:10:20
Macular a sua imagem por tão pouco Sr. Secretário? Fiquei estarrecida com esta notícia!Mas,o que esperar de pessoas que prometeram tanto para a população campo grandense e até agora não mostraram a que vieram. Se o Sr. não é mais administrador da maternidade desde janeiro, subentende-se que o celular deveria ter sido devolvido no primeiro dia subsequente a sua saída. O atual administrador consentiu? E daí? O Sr. deveria reportar-se ao presidente. Ou também não conhece hierarquia institucional? E falar de um profissional da envergadura do Dr. Alfeu.Faça-me o favor Sr. Secretário! O Sr.não tem conduta moral e nem trabalho para tanto. Um médico respeitado, esposo, pai e avô exemplar. Não vejo conotação política nenhuma neste fato, apenas o presidente de uma instituição exercendo suas atribuições. Lamentável!
 
Cristina Barbosa em 30/06/2013 01:14:10
Até agora estou vendo esse secretário só se metendo em picuinha... cara vá trabalhar... vá visitar os postos de saúde, deixe o prefeito fazer politica....
 
augusto leite em 30/06/2013 00:05:37
Ilustre secretário, por quê macular a sua imagem por tão pouco?
Se o celular é funcional, subentende-se não ser seu e sim da instituição, teria que ser devolvido no primeiro dia subsequente a não fazer mais parte da mesma como administrador. Acho que o senhor deveria respeitar um profissional do gabarito do Dr. Alfeu, médico renomado, cidadão de bem, excelente e exemplar pai, avô e esposo. Deveria preocupar-se com a atual gestão municipal que está caótica e até o momento sem nenhuma resolutividade. Não vejo nenhuma motivação política nisto, apenas de um presidente de uma instituição exercendo as suas atribuições, pessoa que tem competência para tal, que tem o dever de exigir a devolução do aparelho. O atual administrador autorizou? O senhor não entende o significado de hierarquia? Lamentável!!
 
Cristina Barbosa em 29/06/2013 21:07:46
Não tem como justificar algo que está errado, sr. Evandro. Dá licença, o senhor usou de má fé.
 
Celia Antunes da silva em 29/06/2013 20:56:39
Quando os políticos brigam por causa de celular é porque chegamos ao fundo do poço da mediocridade republicana. ...
 
Paulo Tarso em 29/06/2013 20:48:26
Se é retaliação ou não, não vem ao caso.
O que importa é saber se o que disse o Diretor Presidente da Maternidade é verdade ou não! Esse é o cerne da questão!
O secretário ficou ou não com o celular? Houve a necessidade de intervenção da justiça?
O secretário não pode se esquivar da acusação fazendo outra. Isso não diminui a sua culpa, na verdade é uma "lamúria infantilizada".
 
Carlos Prates em 29/06/2013 10:58:55
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions