A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 21 de Agosto de 2017

21/01/2014 21:22

Deputado de MS considera um "desatino" eleição de dois em dois anos no País

Vinícius Squinelo

O deputado federal Fábio Trad (PMDB) considera um absurdo o País parar no tempo de dois em dois anos por causa de eleições. Para o parlamentar, a escolha dos representantes do povo não pode prejudicar o próprio povo.

"Brasil está soluçando em intervalos regulares a cada biênio. Todos saem perdendo com esse desvario de eleições a cada dois anos, exceto os que torcem contra o crescimento do País", afirma Fábio Trad, via assessoria de imprensa.

Para ele, a exigência de desincompatibilização de peças importantes da máquina pública no prazo máximo de seis meses antes das eleições acaba contribuindo com a paralisia do desenvolvimento.

"Projetos são suspensos, obras paralisadas, atividades interrompidas, ministros, secretários e agentes públicos em constante 'senta - levanta' de suas cadeiras na mais completa e abjeta instabilidade da rotina governamental", pontua o deputado.

Com a preocupação em continuar no poder, os deveres do mandato para qual foi eleito caem no esquecimento. "O mandato fica em segundo plano e os olhos só focam as próximas eleições. Uma total insanidade!", completa.

Na luta pelo desenvolvimento contínuo do País, o deputado vai continuar a defender a votação o mais rápido possível de alguns pontos da reforma política. Um deles é o que determina unir as eleições e realizá-las apenas de quatro em quatro anos.

"Nos primeiros dias de trabalho na Câmara, reforçarei com ênfase redobrada para a necessidade de votarmos alguns pontos da reforma política. É urgente retomarmos a lucidez e a sanidade para não permitirmos que este desatino eleitoral nos vicie aos piores costumes políticos", finaliza Fábio Trad.




Interessante e oportuno comentário do deputado, realmente o pleito eleitoral tem como revés a suspensão das atividades de interesse principalmente social; promove uma democracia ilustrativa e midiática, sem o seu verdadeiro cunho. Reformas políticas fazem-se urgentes e certas raízes (porque não já apodrecidas) devem ser extraídas e sejam outras sementes plantadas no meio político para que fecundem novas idéias. Pode até ser uma anotação eleitoreira trazida pelo FabioTrad, mas compartilho inteiramente da sua perspectiva.
 
Fernando Gasperin em 22/01/2014 09:37:58
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions