A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 17 de Outubro de 2019

01/04/2019 09:37

Deputados criam frentes para debater polêmicas que atendem bases políticas

Em um ano sem eleição, os deputados priorizam a participação nestes grupos de trabalho, que atendem as bases eleitorais

Leonardo Rocha
Reunião de Frente Parlamentar do Idoso na Assembleia (Foto: Assessoria/ALMS)Reunião de Frente Parlamentar do Idoso na Assembleia (Foto: Assessoria/ALMS)

Com mais de 15 frentes parlamentares em andamento, os deputado estaduais esperam ampliar espaços políticos dentro da Assembleia e assim atender as respectivas bases eleitorais. Também estão usando estes grupos para prolongar assuntos que geram debate, como situação da pesca, enfrentamento a dengue, aumento das contas de energia e segurança na fronteira.

Em um ano sem eleição, com 11 deputados novatos na Assembleia, os parlamentares buscam espaço e atuação política dentro do legislativo. Primeiro foi na formação e comando das comissões, depois buscando criar ou fazer parte de frentes parlamentares que podem ampliar seu trabalho em diversos segmentos.

Diferente das comissões, que tem a função de avaliar os projetos para cada área, além de fiscalizar ações do governo estadual, as frentes parlamentares tem a intenção de envolver a sociedade civil, entidades, segmentos, para debater assuntos importantes e até propor novos projetos e campanhas.

Debates - Alguns deputados aproveitaram para “prolongar” assuntos que podem gerar debates e intervenções, como no caso da “situação pesqueira”, onde Cabo Almi (PT), após audiência pública, quer um grupo para avaliar o programa “cota zero” dentro de Mato Grosso do Sul.

Já Marçal Filho (PSDB) propôs uma frente parlamentar para acompanhar as contas de energia em Mato Grosso do Sul durante todo o ano, assim analisando de forma mensal se houve aumento nos valores e cobrar os motivos para tal acréscimo. Renato Câmara (MDB) criou um grupo de trabalho para ações de combate à dengue.

A segurança pública também entrou na pauta, com o deputado Carlos Alberto David (PSL) buscando focar mais na área de fronteira, buscando um contato mais próximo ao governo federal, e com o presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Temas – Os parlamentares também aproveitaram as frentes para “assumir bandeiras” e temas específicos de entidades e segmentos da sociedade civil. Rinaldo Modesto (PSDB) criou um grupo de trabalho para tratar do cooperativismo, já Márcio Fernandes (MDB) abriu uma frente direcionada ao Agronegócio. Para as pessoas com deficiência o trabalho será conduzido por Pedro Kemp (PT).

Em um ano sem eleição, os deputados se dedicam mais aos assuntos internos da Assembleia, para já fomentar suas bases eleitorais, que vão servir de prioridade em seus respectivos mandatos. Cada vez mais segmentado, o legislativo estadual é representado por diferentes grupos.



Os deputados deveriam criar uma frente para discutir junto ao governo do estado a geração de empregos.
A desocupação está aumentando.
Se não houver medidas por parte do governo e parlamentares, a situação caminha para o caos.
Os empregos criados não estão absorvendo nem a quantidade de novos trabalhadores que estão entrando no mercado de trabalho.
A situação é crítica.
 
Critico em 01/04/2019 11:06:08
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions