A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 23 de Agosto de 2017

15/12/2014 18:06

Deputados pressionam e José Ricardo assina a própria aposentadoria

Edivaldo Bitencourt e Michel Faustino
Arroyo deixou a Governadoria após conseguir aposentadoria sem falar com a imprensa (Foto: Marcelo Calazans)Arroyo deixou a Governadoria após conseguir aposentadoria sem falar com a imprensa (Foto: Marcelo Calazans)
Jerson Domingos confirmou pedido de aposentadoria feito pelo TCE (Foto: Marcelo Calazans)Jerson Domingos confirmou pedido de aposentadoria feito pelo TCE (Foto: Marcelo Calazans)

Os deputados estaduais pressionaram e o presidente do TCE (Tribunal de Contas do Estado), José Ricardo Cabral, assinou, na tarde desta segunda-feira (15), a própria aposentadoria. A medida deve causar mais polêmica, já que a documentação deveria ser encaminhada à Governadoria pelo corregedor da corte fiscal, conselheiro Ronaldo Chadid, que está viajando.

A polêmica começou com o pedido de aposentadoria de Cabral, feito no dia 25 de novembro deste ano. O mais cotado para a vaga é o deputado estadual Antonio Carlos Arroyo (PR). Ele disputa a indicação com o secretário estadual de Obras, Edson Giroto. Na manhã de hoje, o governador André Puccinelli (PMDB) revelou que teria um terceiro nome para o posto.

Como a Assembleia Legislativa encerra os trabalhos nesta semana, os deputados elevaram a pressão para acelerar a aposentadoria de José Ricardo. Na semana passada, ele até demitiu diretor de Gestão de Pessoas do TCE, Nilton Leopoldino Rodrigues. Ele foi acusado de estar segurando o processo.

No entanto, o processo continuou parado na corte fiscal. Uma das hipóteses é de que o presidente eleito do Tribunal de Contas, Waldir Neves, que assume em fevereiro, estaria segurando o processo para que o novo conselheiro fosse indicado pelo governador eleito, Reinaldo Azambuja (PSDB). Neves foi deputado estadual e é bastante ligado aos tucanos. ´

Arroyo, o presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos, e o procurador-geral do Estado, Rafael Coldibelli, aumentaram a pressão e foram pessoalmente ao TCE na tarde de hoje e conseguiram o documento de José Ricardo. No entanto, segundo entendimento de alguns conselheiros, o ato é ilegal, porque ele não poderia assinar a própria aposentadoria.

Sem entrar no mérito da polêmica, o chefe da assessoria jurídica do TCE, Dênis Ferrão Filho, ressaltou que o responsável legal pela concessão da aposentadoria é o conselheiro Ronaldo Chadid. “O processo está concluso para o Ronaldo Chadid”, frisou Ferrão Filho.

Ao deixar a Governadoria, Arroyo não quis falar com a imprensa. Jerson confirmou o encaminhamento do ofício de aposentadoria de Cabral ao governador. Ele disse que não há irregularidade, porque é o “presidente José Ricardo aposentando o servidor José Ricardo”.

Durante o encontro com o governador, os deputados também teriam acertado a indicação de Arroyo. Contudo, a informação não foi confirmada oficialmente.

Conselheiro José Ricardo assume presidência do TCE-MS
O conselheiro José Ricardo Pereira Cabral assumiu a presidência do TCE-MS (Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul) no lugar do conselheiro Cícero A...
Câmara adia de novo votação da PEC que cria distritão e fundo eleitoral
Após várias tentativas de votação nesta terça-feira (22), a análise da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 77/03, que altera o sistema político-e...
Câmara aprova parcelamento de dívidas de Estados e municípios com o INSS
A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta terça-feira, 22, em plenário, a medida provisória 778/2017, que permite Estados e municípios parcelarem...
Votação da PEC do fim das coligações será retomada nesta quarta-feira
A Comissão Especial da PEC 282/2016, que propõe o fim das coligações partidárias e estabelece cláusula de barreira, teve que suspender o processo de ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions