A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

15/12/2014 18:06

Deputados pressionam e José Ricardo assina a própria aposentadoria

Edivaldo Bitencourt e Michel Faustino
Arroyo deixou a Governadoria após conseguir aposentadoria sem falar com a imprensa (Foto: Marcelo Calazans)Arroyo deixou a Governadoria após conseguir aposentadoria sem falar com a imprensa (Foto: Marcelo Calazans)
Jerson Domingos confirmou pedido de aposentadoria feito pelo TCE (Foto: Marcelo Calazans)Jerson Domingos confirmou pedido de aposentadoria feito pelo TCE (Foto: Marcelo Calazans)

Os deputados estaduais pressionaram e o presidente do TCE (Tribunal de Contas do Estado), José Ricardo Cabral, assinou, na tarde desta segunda-feira (15), a própria aposentadoria. A medida deve causar mais polêmica, já que a documentação deveria ser encaminhada à Governadoria pelo corregedor da corte fiscal, conselheiro Ronaldo Chadid, que está viajando.

A polêmica começou com o pedido de aposentadoria de Cabral, feito no dia 25 de novembro deste ano. O mais cotado para a vaga é o deputado estadual Antonio Carlos Arroyo (PR). Ele disputa a indicação com o secretário estadual de Obras, Edson Giroto. Na manhã de hoje, o governador André Puccinelli (PMDB) revelou que teria um terceiro nome para o posto.

Como a Assembleia Legislativa encerra os trabalhos nesta semana, os deputados elevaram a pressão para acelerar a aposentadoria de José Ricardo. Na semana passada, ele até demitiu diretor de Gestão de Pessoas do TCE, Nilton Leopoldino Rodrigues. Ele foi acusado de estar segurando o processo.

No entanto, o processo continuou parado na corte fiscal. Uma das hipóteses é de que o presidente eleito do Tribunal de Contas, Waldir Neves, que assume em fevereiro, estaria segurando o processo para que o novo conselheiro fosse indicado pelo governador eleito, Reinaldo Azambuja (PSDB). Neves foi deputado estadual e é bastante ligado aos tucanos. ´

Arroyo, o presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos, e o procurador-geral do Estado, Rafael Coldibelli, aumentaram a pressão e foram pessoalmente ao TCE na tarde de hoje e conseguiram o documento de José Ricardo. No entanto, segundo entendimento de alguns conselheiros, o ato é ilegal, porque ele não poderia assinar a própria aposentadoria.

Sem entrar no mérito da polêmica, o chefe da assessoria jurídica do TCE, Dênis Ferrão Filho, ressaltou que o responsável legal pela concessão da aposentadoria é o conselheiro Ronaldo Chadid. “O processo está concluso para o Ronaldo Chadid”, frisou Ferrão Filho.

Ao deixar a Governadoria, Arroyo não quis falar com a imprensa. Jerson confirmou o encaminhamento do ofício de aposentadoria de Cabral ao governador. Ele disse que não há irregularidade, porque é o “presidente José Ricardo aposentando o servidor José Ricardo”.

Durante o encontro com o governador, os deputados também teriam acertado a indicação de Arroyo. Contudo, a informação não foi confirmada oficialmente.

Conselheiro José Ricardo assume presidência do TCE-MS
O conselheiro José Ricardo Pereira Cabral assumiu a presidência do TCE-MS (Tribunal de Contas de Mato Grosso do Sul) no lugar do conselheiro Cícero A...
Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions