ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, QUARTA  21    CAMPO GRANDE 24º

Política

Desacreditados de promessas, eleitores com mais de 70 anos não querem votar

Representando 8,49% do total dos cidadãos aptos a votar, idosos não são obrigados a ir às urnas

Gabriela Couto e Mariely Barros | 23/09/2022 11:25
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Esther Alves, 78 anos, ao lado do esposo José. (Foto: Mariely Barros)
Esther Alves, 78 anos, ao lado do esposo José. (Foto: Mariely Barros)

Dos 1.996.510 eleitores aptos a votar no dia 2 de outubro, um grupo de 8,49 % do total não é obrigado a comparecer nas urnas. Conforme a legislação eleitoral, pessoas com mais de 70 anos tem votação facultativa. Mas o desânimo com as experiências políticas ao longo da vida tem desestimulado esse eleitorado.

Prova disso é o depoimento do aposentado Luiz Pereira, 70 anos. Ele faz parte do grupo de 69.835 eleitores, ou seja 3,5% do total, que já estão liberados para escolher se vão ou não se encontrar com a urna daqui nove dias. “Perdi as contas de quantas eleições eu já participei. Esse ano não vou. Estou cansado e não acredito mais nos candidatos. A maioria só fala e não faz nada. Não vou ir andar à toa”, confessou.

Dentro do grupo de 2,26% do eleitorado apto com 75 a 79 anos, Esther Alves, 78 anos, afirmou que ‘não vai se dar ao trabalho de ir votar’. “Não tenho mais idade para acompanhar. Quando era obrigatório eu participei de todas. mas agora não vou ter esse trabalho. Não tenho interesse”, revelou.

Já Aluído Ribeiro, de 76 anos, está decidido a participar desta eleição e das próximos enquanto estiver consciente. “Eu acho importante exercer a cidadania. Assisto aos debates e também vou nas reuniões quando me convidam. Enquanto eu estiver lúcido e vivo, eu vou.”

Vendedor José Augusto Gomes, 83 anos, só vai deixar de votar 'quando morrer'. (Foto: Mariely Barros)
Vendedor José Augusto Gomes, 83 anos, só vai deixar de votar 'quando morrer'. (Foto: Mariely Barros)

O vendedor, José Augusto Gomes, de 83 anos, concorda com seu Aluído e disse que só vai deixar de votar quando morrer. “Eu não paro de me atualizar. Vou nas reuniões dos candidatos. Peço votos nos que eu acredito. Mas, esse ano não vou votar porque não transferi meu título de Aquidauana. Acho que é só votando para o negócio ficar bom pra todo mundo. Agora é hora de pedir socorro pra garantir uma melhora na saúde e educação dos meus netos, familiares e conhecidos”. Ele se enquadra no grupo de 27.568 eleitores de 80 a 84 anos. O que representa 1,38%.

Fazendo parte de 0,72% dos eleitores aptos ao voto facultativo, com idade entre 85 a 89 anos, o aposentado Carlindo Bento Feitosa, 87 anos, está decidido a participar somente no segundo turno, se houver. O encontro dele com as urnas poderá ocorrer no dia 30 de outubro, se a definição para governador e presidente não acontecer no dia 2.

Tabela com representação do total de eleitores aptos a votar em Mato Grosso do Sul, conforme a faixa etária. (Foto: Reprodução)
Tabela com representação do total de eleitores aptos a votar em Mato Grosso do Sul, conforme a faixa etária. (Foto: Reprodução)

“Só vou votar no segundo turno para presidente e governador se tiver, porque tem muito candidato a deputado. É muito nome pra gravar na memória. Então vou esperar quando tiver só entre dois candidatos. Se tiver alguma mulher para votar melhor ainda, eu acredito que elas vão fazer a diferença na política, e não os homens”, pontuou.

Ele acha a festa da democracia um bom momento para ‘oxigenar’ as ideias. “Eu também vou para conversar. É importante pra gente sair de casa. Às vezes percebo que não falam muito com a gente. Deve ser porque existe muitos idosos assanhados ou sei lá. Então é difícil achar alguém pra ter uma conversa agradável. Vou pra fila também pra interagir com as pessoas.”

Seu Cândido Soares viera Monteiro, 92 anos, está esperando encontrar um candidato que ele acredita. (Foto: Mariely Barros)
Seu Cândido Soares viera Monteiro, 92 anos, está esperando encontrar um candidato que ele acredita. (Foto: Mariely Barros)

Um pouco mais experiente, fazendo parte do grupo de 90 a 94 anos, ou seja 0,36 % do total de eleitores, Cândido Soares viera Monteiro, 92 anos, votou na última eleição e esse ano só vai ir às urnas se achar um candidato que acredita. “Esse ano estou sem candidatos. Cansei de tanta promessa. Se eu achar um que mente menos eu vou votar.”

A reportagem não encontrou personagens que representem o público de 95 a 99 anos, que tem 3.787 eleitores aptos, o que representa 0,19% e os com mais de 100 anos, que são 1.666 eleitores, ou seja 0,08% do total.

Nos siga no Google Notícias