A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

18/12/2012 22:03

Durante diplomação, vereadores defendem aumento de salário

Gabriel Neris e Aline dos Santos
Edil Albuquerque foi diplomado na noite desta terça-feira no Centro de Convenções (Foto: João Garrigó)Edil Albuquerque foi diplomado na noite desta terça-feira no Centro de Convenções (Foto: João Garrigó)

Na cerimônia de diplomação no Centro de Convenções Arquiteto Rubens Gil de Camilo, em Campo Grande, os vereadores eleitos comentaram o reajuste salarial de 61,9% para a próxima legislatura. O rendimento passará de R$ 9,2 mil para R$ 15 mil. O valor foi defendido pelos parlamentares que assumem em janeiro, incluindo os que já estão na Casa e os que entram agora.

“A gente tem que compartilhar sucesso e não desgraça. Se o salário for menor do que recebemos, seria como compartilhar desgraça”, comentou o vereador reeleito Vanderlei Cabeludo (PMDB). O parlamentar disse ainda ser favorável a uma boa remuneração para evitar que vereadores se envolvam em esquemas fraudulentos.

O vereador Jamal Salém (PR) disse que o aumento é legal e lembrou que o reajuste é feito de quatro em quatro anos. “Nada mais justo do que ter agora”.

O ex-governador de Mato Grosso do Sul e vereador mais votado, Zeca do PT, preferiu não entrar na polêmica e comentou penas que o vereador tem o direito de receber até 70% do salário de um deputado estadual.

De volta a Câmara dos Vereadores, o vice-prefeito Edil Albuquerque (PMDB) afirmou que trabalha com resultado e gosta do que faz. “Criei a nota fiscal avulsa, o clique esperança, ajudei a trazer seis creches no município sem nenhum custo, com a ajuda do poder privado. Por que um vereador não merece (reajuste)?”, questiona.

Edil ainda comentou a situação do prédio da Câmara Municipal de Campo Grande. O vereador reeleito disse que a pendência está enrolada desde a época que era presidente e apresentou um projeto de desapropriação, deixando um valor disponível em caixa. Segundo o vice-prefeito, o dinheiro era fruto de economia de dois anos de mandato no legislativo. “Não houve acordo entre empresário e poder público”, colocou.

A diplomação foi realizada no TRE (Tribunal Regional Eleitoral). Os 29 vereadores e mais 9 suplentes receberam o documento que confirma sua eleição. Três vereadores, Edson Shimabukuru, o My Body, Paulo Pedra e Alceu Bueno, foram diplomados com as contas reprovadas. Com o diploma em mãos, os vereadores estão aptos a tomar posse no dia primeiro de janeiro.

 

Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


Tem é que aumentar mesmo!!! Toma Campo Grande
 
Marcos Nogueira em 19/12/2012 10:56:20
Acredito que ninguem questionou o fato de terem tido aumento, a questão é o indice desse aumento, enquanto o salario minimo sobe 8% o deles subiram quase 62%, mesmo que seja de quatro em quatro anos se levarmos em consideração o aumento do salario minimo seria apenas 24% de aumento a cada 4 anos e nao esse aumento expressivo, mas enfim temos que compartilhar O SUCESSO só nao sabemos o SUCESSO de quem, dos Vereadores?? Pq a população em geral só tem desgraça!!!!
 
Mauro José em 19/12/2012 08:59:02
O Brasil precisa ser mais justo com os Brasileiros. Estou falando mais exatamente dos brasileiros que acordam diariamente para trabalhar, cumprindo carga horária de pele menos 40 horas semanais, que utiliza transporte público para se locomover e utiliza o SUS para tratar das suas enfermidades. Lí que é justo que o vereador ganhar 70% do salário do deputado estadual. Sendo assim, nada mais justo que criemos um índice baseado nos cargos políticos, ou baseado na mesma função só que em empresa pública, para definir o salário base para as várias classes trabalhadoras. Um trabalhador da iniciativa privada, comparando-se mesma função não é melhor nem pior do que um trabalhador de empresa pública, portanto agentes de política pública, sejam justos aos brasileiros.
 
Flávio Márcio em 19/12/2012 08:16:16
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions