A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 16 de Julho de 2018

12/04/2018 17:08

Ex-integrante da Lava Jato, especialistas e ator discutem ética e corrupção

Seminário “O cidadão que devemos ser e a política que queremos ter” terá entre palestrantes o atual superintendente da PF de MS e o ator João Signorelli, que dá vida a Ghandi em monólogo

Humberto Marques
Evento será realizado na Câmara de Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)Evento será realizado na Câmara de Campo Grande. (Foto: Marcos Ermínio/Arquivo)

Acontece às 14h de 18 de abril na Câmara Municipal de Campo Grande a segunda edição do seminário “O cidadão que devemos ser e a política que queremos ter”, que reunirá um ex-integrante da força-tarefa da Operação Lava Jato, cientista político, advogada e o ator João Signorelli para discutirem com a sociedade temas como ética e combate à corrupção. Encampado e organizado pela Escola do Legislativo, o seminário foi proposto pelo vereador Lívio Leite (o Dr. Lívio, do PSDB), que há dois anos organizou o primeiro encontro.

“A ideia é abordar esses temas neste momento, de ano eleitoral, para trazermos essas reflexão para a população”, destacou Lívio. “Neste ano levamos a ideia ao vereador João Rocha [PSDB, presidente da Câmara Municipal], que gostou muito da iniciativa e se encarregou de transformar em um evento da Casa, executado pela Escola do Legislativo”, destacou Lívio.

“A Escola do Legislativo vem atuando no sentido de oferecer cursos e seminários de capacitação profissional. É o nosso trabalho para aproximar ainda mais a Câmara da população, trazer o cidadão para dentro desta Casa. Depois de eleitos, temos o compromisso com todos os cidadãos”, afirmou Rocha.

Palestrantes – Os palestrantes foram indicados pelo Projeto Coletivo, do mandato de Lívio, e aceitos pela Câmara. O evento será aberto com palestra do superintendente da Polícia Federal no Estado, Luciano Flores de Lima, ex-integrante da força-tarefa da Lava-Jato, sob o tema “Pobre país rico: os estragos da corrupção no desenvolvimento do Brasil”.

O geógrafo e cientista político Tito Carlos Machado de Oliveira, da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), fará exposição do tema “Quem somos? Ética e reputação internacional”; sendo sucedido pela advogada Gysélle Saddi Tannous, mestra em Psicologia Social da Saúde, que falará sobre “Espaços Políticos: uma ocupação necessária e urgente”.

Signorelli, que há anos encena monólogo de Ghandi, levará o tema para a Câmara. (Foto: Divulgação)Signorelli, que há anos encena monólogo de Ghandi, levará o tema para a Câmara. (Foto: Divulgação)

O seminário será encerrado com o monólogo “Ghandi, a Ética Inspiradora”, encenado pelo ator João Signorelli, que atua há mais de 25 anos –em boa parte deste tempo realizando a apresentação– e coleciona atuações em novelas, minisséries, cinema e teatro. “Vamos finalizar um seminário com tema de maior repercussão, trazendo o Signorelli, que apresenta pelo país o monólogo”, explicou Lívio.

Constante – Idealizador do evento, Lívio considera que os efeitos de uma eventual mudança de postura do brasileiro em relação à ética e corrupção não aparecerão em curto prazo. “Vamos colher isso em três ou quatro gerações”, opinou. A fim de garantir essa resposta, o vereador defende a realização desse debate justamente no período eleitoral “para que a população entenda a necessidade de ocupar esses espaços”.

“No imaginário coletivo parece que há uma diferença muito grande entre os governadores e políticos e os que eles representam enquanto sociedade. Mas não há”, explica o vereador. “Somos uma comunidade caminhando, com muito mais vícios que virtudes, e os representantes políticos são um espelho disso”.

Lívio vê em problemas criticados pelo brasileiro um reflexo da própria sociedade. (Foto: CMCG/Divulgação)Lívio vê em problemas criticados pelo brasileiro um reflexo da própria sociedade. (Foto: CMCG/Divulgação)

“Seria possível que sejamos um país maravilho, de povo honesto e trabalhador, e por alguma infelicidade somos governados por ladrões descompromissados com a sociedade? Isso nada mais é do que somos enquanto sociedade”, prosseguiu Lívio, segundo quem não adianta criticar a corrupção em um cenário macro se, no cotidiano, cometemos atos qualificados como “pequenos deslizes”. Para ele, o debate é uma oportunidade para que o bom cidadão se sinta estimulado a ocupar os espaços e fazer política, seja ela partidária ou não. “A omissão do cidadão de bem também é danosa”, pontuou.

As inscrições para o seminário são feitas pela internet, por meio deste link ou no site da Escola do Legislativo da Câmara Municipal, em http://www.camara.ms.gov.br/escola-legislativo. Para participar, os interessados devem doar um quilo de alimento não perecível. Mais informações pelo telefone (67) 3316-1658.

Maioria quer candidato à Presidência sem envolvimento em corrupção
A maioria dos brasileiros espera que o futuro presidente do Brasil seja honesto e não tenha se envolvido em casos de corrupção. Essas foram as priori...
Policiais envolvidos em corrupção são demitidos 3 meses após asfastamento
Após três meses de serem afastados de suas funções, três policiais civis lotados em Coronel Sapucaia, distante 400 quilômetros de Campo Grande, foram...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions