A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

28/03/2013 17:41

Fábio defende reforma política ampla, mas só dois temas são certos

Zemil Rocha
Fábio defende reforma que coloque o dedo na ferida (Foto: Arquivo)Fábio defende reforma que coloque o "dedo na ferida" (Foto: Arquivo)

 

O deputado federal Fábio Trad (PMDB-MS) preferia uma reforma política mais ampla, mas considera um avanço o fato de dois dos principais pontos dela estarem pautados para ser votados no Plenário da Câmara nos dias 9 e 10 de abril. A fixação de data para votação aconteceu esta semana numa reunião dos líderes partidários com o presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves.

“O ideal seria aprovar o financiamento público de campanha, mas acredito que apenas a coincidência de eleições e a extinção das coligações proporcionais devem ser votadas”, informou Fábio Trad.

Na opinião do relator da reforma, deputado Henrique Fontana (PT-RS), o importante era arrumar pauta para votar a matéria, já que ela gera muita polêmica. "Se a gente esperar um acordo para votar a reforma política, nós não votaremos reforma política nas próximas dez gerações. Reforma política é um assunto para sentar com civilidade, abrir a votação no Plenário e compor maiorias", defendeu ele.

Da mesma forma que Fábio Trad, o relator Henrique Fontana também defende o financiamento de campanhas eleitorais com recursos públicos, medida que, na opinião de ambos, diminuiria a influência do poder econômico nas eleições. Atualmente, as campanhas são custeadas principalmente por grandes empresas. O parlamentar sul-mato-grossense lamenta que o combate à influência do poder econômico no processo eleitoral não esteja na pauta de votação: “O poder econômico nas eleições é determinante. São raros, raríssimos, os deputados eleitos por voto de conceito. A grande maioria, infelizmente, submete-se a lógica perversa do sistema, gerando injustiças gritantes”.

Para Fabio Trad, a legislação eleitoral tem que ser realizada “sem receio de colocar o dedo na ferida e apontar os atuais erros do sistema político”. Entendendo que as distorções do sistema eleitoral provocam um distanciamento cada vez maior entre eleitor e eleito, “corroendo a credibilidade da atividade política”, Fábio defende mudança estrutural “pensando nas próximas gerações”.

Além de financiamento público de campanha, o deputado Fábio Trad é a favor de haver limite de três mandatos para o mesmo cargo legislativo, o que dá 12 anos. A mudança, segundo ele, permitira “maior renovação dos quadros políticos com novas ideias e práticas políticas, o que é salutar para a democracia e para os parlamentares”.

 



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions