A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

03/10/2012 13:59

Fauzi diz em nota que servidores presos já haviam sido afastados

Gabriel Neris
Prefeito de Aquidauana, Fauzi Suleiman, teve candidatura a reeleição cassada (Foto: Arquivo)Prefeito de Aquidauana, Fauzi Suleiman, teve candidatura a reeleição cassada (Foto: Arquivo)

O prefeito de Aquidauana Fauzi Suleiman (PMDB), que teve a candidatura à reeleição cassada, afirmou que os cinco servidores presos durante a operação Parajás, desencadeada pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas) já haviam sido afastados antes da determinação do MPE (Ministério Público Estadual). 

O secretário de finanças, Paulo Sérgio Goulart, o assessor da Assembleia Legislativa, Jorge Cáceres, o servidor da Gerência de Finanças, Carlos Augusto Paim, o chefe de gabinete da Ouvidoria-Geral Ado Luiz Aramburu, e a servidora do setor licitações Fernanda Aparecida Alves Marti, são acusados de montar esquema de desvio de dinheiro público, fornecimento irregular de combustível, emissão de notas frias, contratação irregular de servidores comissionados, além de favorecimento em concurso público e outras irregularidades na administração municipal. 

Fauzi Suleiman também negou a informação de que a polícia havia encontrado R$ 1 milhão na residência de um dos secretários, como afirmaram boatos, não confirmados, que circularam na cidade. 

De acordo com o MPE, 19 pessoas já foram ouvidas e outras 11 estão notificadas para comparecerem na Promotoria até o final da semana. 

Hoje, o advogado da coligação “Aquidauana no Rumo Certo”, Félix Jayme Nunes da Cunha, disse em entrevista a rádio FM 100,9 que a campanha a reeleição prossegue normalmente. “Não há paralisação”, comentou. 

O juiz José de Andrade Neto, da 10ª Zona Eleitoral, cassou a candidatura de Fauzi e o declarou inelegível para os próximos oito anos, a contar destas eleições. Ele disputa a reeleição, em Aquidauana. 

A decisão é a pedido do MPE (Ministério Público Estadual) que verificou publicidade irregular nas notícias veiculada no site da prefeitura. Conforme o MPE, o prefeito usou do meio institucional para se promover.

O juiz também cassou a candidatura de Vanildo Neves (PSBD), vice-prefeito na coligação encabeçada por Fauzi, e o declarou inelegível para os próximos oito anos, a contar de 2012. Luiz Carlos Leite Cabral, diretor de comunicação da prefeitura, também foi declarado inelegível para os próximos oito anos.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions