A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

11/12/2013 14:00

Jerson propõe utilização da dívida ativa para compras de terras indígenas

Bruno Chaves e Leonardo Rocha

Para apaziguar os ânimos de produtores rurais e indígenas nas disputas por terras em Mato Grosso do Sul, o presidente da Assembleia Legislativa, Jerson Domingos (PMDB), propõe que o Estado utilize a dívida ativa com a União para a compra de terras.

Jerson acredita que essa seria a melhor solução para o conflito. “Se o Governo Federal permitir que o Estado, ao invés de pagar R$ 80 milhões por mês para a União, utilize R$ 30 milhões para ser depositado em um fundo voltado para os conflitos indígenas, em 10 meses este fundo já teria R$ 300 milhões em caixa”, diz.

Esse valor, de acordo com o presidente, poderia ser utilizado na compra e negociação das terras em conflitos. “Posteriormente, o Governo Estadual poderia repor esse valo em 240 meses para a União, o que totalizaria 20 anos”, explica.

Dessa forma, a União não compraria as terras, apenas daria o dinheiro emprestado ao Estado. “Se ela quisesse e tivesse vontade política, optaria por essa alternativa”, concluiu Jerson.

No entanto, a principal alternativa levantada pelos dois governos é a utilização do Fepati (Fundo Estadual para Aquisição de Terras Indígenas), que prevê que o recurso do orçamento da União seja depositado nesse fundo para depois ser utilizado na compra das terras.



tenho varias fazendas para a venda.
 
sebastião ferreira dos santos creci 4111 em 17/12/2013 17:37:30
Um singela sugestão: o governo federal deveria legalizar o jogo do bicho e usaria 50% da arrecadação para compra de terras indígenas...afinal o jogo, ilegal, corre solta no estado... até eu faço minhas fezinhas...
 
samuel gomes-campo grande em 11/12/2013 14:47:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions