ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SÁBADO  20    CAMPO GRANDE 20º

Política

Justiça suspende fundo partidário municipal do PSB, PMB e Pros

As três legendas não divulgaram as prestações de contas do ano passado de Campo Grande

Leonardo Rocha | 27/08/2018 12:47
Fórum Eleitoral de Campo Grande (Foto: Arquivo)
Fórum Eleitoral de Campo Grande (Foto: Arquivo)

A Justiça eleitoral suspendeu o repasse do fundo partidário às direções municipais do PSB, Pros e PMB, em Campo Grande. A justificativa é que as legendas não enviaram a prestação de contas referente ao ano passado, que traz a arrecadação e todas as despesas e  que foram feitas, detalhando a movimentação financeira.

A decisão partiu do juiz eleitoral Paulo Afonso de Oliveira, que nos três casos ressaltou que o prazo final para o envio era 30 de abril, e que mesmo após os partidos serem intimados - sob pena de suspensão do fundo - não foram mandados os documentos.

Ele ainda ponderou que a “ausência de movimentação” dos recursos dentro da legenda, não isenta o mesmo de enviar a prestação de contas do ano anterior. As decisões foram tomadas pela 08º Zona Eleitoral de Mato Grosso do Sul.

No caso do PMB, o juiz citou em 26 de junho deste ano, o partido informou que comissão provisória municipal estava inativa há dois anos, por isto deixou de atender à solicitação judicial. Foi então pedido uma ampliação de prazo, mas que mesmo com 10 dias concedidos, as tarefas não foram cumpridas.

O PSB também pediu ampliação de prazo e mesmo com 30 concedidos, não enviou a documentação. O magistrado então considerou que as prestações de contas das três legendas não foram feitas.

Defesa – O presidente estadual do Pros, Fabrício Venturoli, disse que ainda tinha acesso a esta decisão, mas que assim que for notificado, irá tomar as devidas providências. Já o candidato ao Senado e presidente regional do PMB, Dorival Betini, explicou que vai recorrer da decisão e que foi a gestão passada não prestou conta. “Vamos colocar tudo em ordem”.

O vereador Francisco Gonçalves, presidente municipal do PSB, disse que já contratou uma assessoria jurídica para analisar as contas dos últimos anos, para regularizar a documentação e fazer uma auditoria. “Sabemos que está faltando as prestação (contas) de 2016 e 2017, entendo que o partido tem história e vamos esclarecer tudo que tiver irregular”, justificou ele.

Nos siga no Google Notícias