A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

10/05/2013 14:24

Mágoa de protesto de professores cala fundo na alma do prefeito Bernal

Josemil Rocha e Jéssica Benitez
Bernal ficou indignado com os protestos e xingamentos contra ele (Foto: Vanderlei Aparecido)Bernal ficou indignado com os protestos e xingamentos contra ele (Foto: Vanderlei Aparecido)

O prefeito Alcides Bernal (PP) voltou a criticar hoje a postura dos professores durante a mobilização para exigir a implantação integral do piso nacional em Campo Grande. “Fui obrigado a assistir uma cena que jamais pensei em ver, ainda mais vindo de educadores. O Tabosa, ex-assessor do vereador Saraiva, reuniu os professores e com um trio elétrico foi em frente à prefeitura xingar a administração e me xingar minha pessoa”, afirmou Bernal, após participar da comemoração do 8º aniversário do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, com entrega novas viaturas na Central de regulação do SAMU, no bairro Pioneiros.

Diante do impasse, segundo Bernal, os guardas formaram cordão de isolamento, imagem que o teria deixado insatisfeito. “Eu não gostei daquela cena e pedi que liberassem a entrada dos professores para podermos discutir. Alguns professores, instrumentalizados por outros que queriam formar massa de manobra, agrediram os guardas, tenho gravação que mostra isso”, disse o prefeito.

O piso nacional dos professores corresponde a 40 horas trabalhadas e, conforme Bernal, os professores municipais trabalham 20 horas. “Aliás trabalham 14 horas se contarmos o tempo de planejamento”, recalculou. Essa insatisfação com os protestos e ameaças de greve dos professores da Rede Municipal de Ensino calou fundo na alma do prefeito Bernal. Hoje foi o segundo dia seguido em que ele fez duras críticas contra setores da categoria e presidente do Sindicato dos Servidores Municipais (Sisem), Marcos Tabosa. “Sabemos que somente meia dúzia de professores quer causar problemas”, voltou a lamentar.


Desafio – Apesar das críticas, o prefeito Alcides Bernal revelou que encara o acordo celebrado para pegar o piso nacional aos professores como um “desafio” a ser vencido e disse que está preparado para enfrentá-lo. “Eu gosto de desafios porque tenho coragem para ir atrás de soluções. Vou dar o piso nacional aos professores. Vou anunciar na segunda-feira”, declarou o progressista.

Observou, porém, que a prefeitura não pode arcar com despesas que não cabem no Orçamento Municipal. “Estamos com uma dificuldade financeira muito grande”advertiu o prefeito. “Engessaram a administração, aumentaram despesas, diminuíram receita, exigindo, com isso, que estejamos a mercê da Câmara, onde 20 dos 29 vereadores são da oposição, embora agora tenham seis que declararam independência”, reclamou.

 

Assembleia recebe prestação de contas e fará limpeza de pauta antes do recesso
A última semana de trabalho do Poder Legislativo de Mato Grosso do Sul em 2017 será aberta com a audiência pública para prestação de contas do govern...
Assembleia vota prorrogação de adesão a fundo que regula incentivos fiscais
A prorrogação até 30 de dezembro do prazo para que empresas beneficiadas com incentivos fiscais concedidos pelo governo do Estado se inscrevam no Fad...
Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...


Bernal, vc é ridiculo cara, "e o Bernal", fora já!
 
fernando rossi em 14/05/2013 22:24:30
Resposta à Teresa Moura os seus filhos serão futuros profissionais que farão greves iguais a essas por melhores salários ou condições de trabalho. Ou mesmo futuros professores que gozarão dessas lutas da categoria. Ignorante!!!
 
Vladd Pereira em 11/05/2013 08:33:37
D. Teresa Moura nós professores somos sim formadores de opinião, mas também somos seres humanos passíveis de erros. Quem nunca errou que atire a primeira pedra. Infelizmente nossas escolas também enfrentam uma grande falta de estrutura, desde: mesas, cadeiras, kit escolar, uniforme escolar, materiais didáticos para que os alunos de fato tenham uma aprendizagem de qualidade. Somos os principais vilões diante de todos os problemas da sociedade, tais como: violência, trânsito, drogas, doenças (dengue, H1N1), e a família que papel ocupa? De oposição ao professor? Atendemos muitas crianças que se quer tem uma base familiar, ora os pais estão presos, viciados, mortos. Não venha nos cobrar por exigirmos um compromisso em campanha eleitoral, colegas de profissão tb foram agredidos neste dia.
 
Leila Freitas em 10/05/2013 22:21:36
Querida Teresa vejo o como fez falta uma professora em sua vida. Infelizmente os alunos hoje possuem professores que de fato se preocupam com a aprendizagem dos alunos. Valorização salarial é um dos caminhos para se alcançar uma educação de qualidade. Não é só isso é claro, mas é um dos fatores de extrema relevância. Forte abraço cara Teresa.
 
DANIEL NUNES em 10/05/2013 20:00:37
É isso mesmo Sr. Bernal: é fácil criticar o trabalho dos outros, mas é duro quando acontece conosco, não?! Agora, pare de falar besteiras e trabalhe!
 
Carlos Nunes em 10/05/2013 19:05:16
Infelismente não se pode esperar que alunos saiam da escola com um bom comportamento,porque os próprios professores fazem badernas em repartições publicas,o que será dos nossos jóvens no futuro.
 
Teresa Moura em 10/05/2013 16:16:49
Categoria insatisfeita com a baixa remuneração. Profissão de suma importância simplesmente desprestigiada. Promessas não cumpridas. As consequências não poderiam ser outras. Claro que sempre tem aquele(a) que aproveita a ocasião para promover baderna geral. Só que verdade seja dita. Dar aula em escolas públicas virou missão só para quem possui uma boa estrutura física e mental. Nem o amor à profissão acaba com a indignação desses profissionais. Se o aumento de salário é direito garantido e o reajuste satisfaz o pleito, então não há necessidade de negociação. Constrangimentos poderiam ter sido evitados.
 
Adriano Humberto Ferreira de Souza em 10/05/2013 14:40:22
Que dó, que dó, que dó... Srº Prefeito o combinado não sai caro, lembra-se de um debate na campanha onde vossa senhoria assinou um documento se comprometendo em cumprir integralmente a lei do piso? Ou já está tendo problemas com a memória? Pois é Srº Prefeito o combinado não sai caro.
 
Paulo Silva em 10/05/2013 14:38:30
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions