A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

22/04/2012 12:46

Mandetta e Marçal justificam ausência na votação da CPI contra Cachoeira

Mariana Lopes

Os dois foram acusados de terem se omitido no caso, mas ambos afirmam ser a favor da CPI

Após serem apontados por não terem assinado, na última quinta-feira (19), a CPI de investigação contra o empresário Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acusado de ter envolvimento com jogos de azar e com políticos e autoridades públicas, os deputados federais de Mato Grosso do Sul Marçal Filho (PMDB) e Henrique Mandetta (DEM) justificaram o que aconteceu.

Mandetta garante que foi um dos primeiros a assinar o documento e que foi pego de surpresa quando começou a ser questionado do motivo pelo qual não teria votado. “Vou ver na segunda-feira o que aconteceu. Como fiz apenas a rubrica, imagino que tenham conferido pela minha assinatura oficial, que eu normalmente não uso”, argumenta.

Ele ainda reforça que é a favor da CPI e que será a hora de separar o joio do trigo. “Se ela for até onde tem que ir, será extremamente esclarecedora. Tem muita coisa por trás disso. Dentro do Congresso, há muita gente boa, mas também muita gente com más práticas”, aponta o deputado.

Já Marçal Filho assume que estava ausente na votação, mas justifica que no dia estava nos Estados Unidos, em missão oficial pelo congresso. Contudo, o deputado afirma que também concorda com a CPI.

“Quero ratificar minha posição favorável à instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito. Nesta semana, estarei na Câmara para engrossar o grupo que busca identificar todos os envolvidos, sem esquecer a oportunidade defesa a que todos têm direito”, diz, em nota oficial.

Marçal lembra, ainda, que já havia se colocado à disposição para assinar e integrar a CPI. “Há acusados de diversos partidos, até mesmo a pessoa que esteve liderando este movimento, o deputado e delegado federal Protógenes Queiroz (PCdoB-SP) teve seu nome citado dentro das acusações do caso cachoeira”, pontua, na nota.

Dois deputados federais do MS não assinam CPI contra Carlinhos Cachoeira
Dois deputados federais do Mato Grosso do Sul não assinaram a CPI de investigação contra Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira, acus...
Tribunal marca julgamento da apelação de Lula para janeiro de 2018
O Tribunal Regional Federal (TRF) da 4ª Região, sediado em Porto Alegre, marcou para 24 de janeiro de 2018 o julgamento da apelação do ex-presidente ...


Olha rapaziada, é duro de acreditar.
 
Acir Zorzi em 23/04/2012 12:34:15
Mato Grosso do Sul, de olho nesses caras, votaram contram o pedido de CPI""
 
Valter Vieira Alves em 22/04/2012 10:03:25
Se não estava lá na hora certa ou não assinou direito, não adianta dar desculpinha, o trabalho de vocês é este deputados. Suas assinaturas valem o voto de cada um que depositou confiança em vocês, se for pra trabalhar pelo povo, que trabalhem direito.
 
Maurício Ferreira da Costa em 22/04/2012 09:30:31
Então, bairro Nova Lima semelhante ao congresso nacional, ambos continuam na lama!
 
Jose silva em 22/04/2012 08:17:51
justificado foi. Só resta saber se essas justificativas procedem.
 
André Neves em 22/04/2012 02:20:25
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions