ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, QUINTA  21    CAMPO GRANDE 25º

Política

Mandetta tem 5% e Simone 2% dos votos em simulações da corrida presidencial

O Datafolha ouviu, entre os dias 13 e 15 de setembro, 3.667 eleitores em 190 cidades brasileiras

Por Anahi Zurutuza | 17/09/2021 15:46
Mandetta e Simone aparecem em pesquisa nacional (Fotos: Agência Brasil)
Mandetta e Simone aparecem em pesquisa nacional (Fotos: Agência Brasil)

O ex-ministro da saúde Luiz Henrique Mandetta (DEM) conquistaria até 5% do eleitorado brasileiro na corrida pela Presidência da República em 2022.  Outro nome sul-mato-grossense que aparece na pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada nesta sexta-feira (17), é o da senadora Simone Tebet (MDB), que teria somente 2% dos votos caso se candidatasse à presidente.

Mandetta ficaria atrás do governador de São Paulo, João Dória (PSDB), mas teria mais votos que o governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), em cenários simulados pela pesquisa. O médico conquistaria 4% do eleitorado, caso entrasse na disputa com Lula (PT), Jair Bolsonaro (sem partido), Ciro Gomes (PDT) e Dória. Já se a “briga” fosse entre Lula, Bolsonaro, Ciro, Mandetta e Eduardo Leite, o ex-ministro levaria 5% dos votos. Veja:

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Fonte: Datafolha/ Arte: Thiago Mendes
Fonte: Datafolha/ Arte: Thiago Mendes

O nome de Simone Tebet aparece em outro cenário simulado pelo instituto. Numa eventual disputa entre Lula, Bolsonaro, João Dória e José Luiz Datena (PSL), a senadora de Mato Grosso do Sul ficaria em quinto lugar, com 2% dos votos e à frente de Rodrigo Pacheco (DEM) e Alessandro Vieira (Cidadania). Confira:

Fonte: Datafolha/ Arte: Thiago Mendes
Fonte: Datafolha/ Arte: Thiago Mendes

Assim como teria votação mais expressiva, Mandetta também tem maior rejeição que a senadora. Na pesquisa, 18% dos entrevistados responderam que jamais votariam no ex-ministro, enquanto 14% afirmou que nunca daria voto para Simone. Veja:

Nacional – O Datafolha, que ouviu, entre os dias 13 e 15 de setembro, 3.667 eleitores em 190 cidades brasileiras, aponta que Lula segue à frente de Bolsonaro e no segundo turno, ganharia do atual presidente com 56% contra 31% dos votos.

Conforme análise publicada pela Folha de S. Paulo, contudo, a corrida pela Presidência dá sinais de estagnação. O cenário sugere que a subida de Lula, que mantém larga sobre o chefe da não, parou. A desidratação de Bolsonaro também, se a mesma lógica for seguida.

Na pesquisa espontânea – quando o entrevistado responde em quem votaria, sem ter nomes de candidatos para optar –, Lula aparece com 27% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro é lembrado por 20% do eleitorado.

Na estimulada, a diferença entre chega a ser de 46% para 25% do eleitorado (reveja os gráficos acima). A rejeição do presidente é maior que a de Lula, também conforme o Instituto Datafolha.

Fonte: Datafolha/ Arte: Thiago Mendes
Fonte: Datafolha/ Arte: Thiago Mendes


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário