A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

23/02/2015 18:43

Movimentos sociais e sindicais se unem para defender governo federal em MS

Reunião deve acontecer com frequência para base planejar ações de mobilização

Juliene Katayama
Parlamentares petistas e representantes sindicais e sociais participam da primeira reunião (Foto: Daniel Machado)Parlamentares petistas e representantes sindicais e sociais participam da primeira reunião (Foto: Daniel Machado)

Representantes de movimentos sociais e sindicais, além de lideranças e parlamentares do PT se reuniram na manhã desta segunda-feira (23) na sede da FETEMS para discutir estratégias de defesa do governo federal em Mato Grosso do Sul a partir das bandeiras sociais e trabalhistas.

Este foi o primeiro de vários encontros que devem acontecer ao longo do ano, segundo o presidente da FETEMS, Roberto Magno BotareliCesar.

Nosso propósito é o mesmo, lutar pelos direitos dos trabalhadores do campo e da cidade, numa ótica igualitária e social, portanto a união de tantos movimentos e lideranças políticas em um momento como o atual, onde a democracia brasileira está sendo ameaçada constantemente pelas organizações da oligarquia e da burguesia, se faz mais do que necessária”, disse.

Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores de Mato Grosso do Sul, Genilson Duarte, o momento de união é emergencial. "Estamos assistindo a grande mídia manipulando a sociedade brasileira constantemente contra o que lutamos anos para construir, que é a nossa democracia, a vontade de escolha do povo brasileiro e no mesmo sentido vemos uma parcela da sociedade gritar pela volta da ditadura, um absurdo sem tamanho, que vai na contra-mão de toda a nossa caminhada, portanto em Mato Grosso do Sul os movimentos sociais e sindicais estão unidos para debater uma pauta da classe trabalhadora, que venha ao encontro dos nossos ideais e que não permita retrocessos em nossas conquistas históricas”.

Para o deputado Amarildo Cruz, foi uma oportunidade também de avaliar o governo atual. “Discutimos a conjuntura estadual e nacional. Tratamos de estratégias e avaliações internas que o governo deveria estar fazendo e não está”, afirmou.

O petista fez críticas a algumas decisões da presidente Dilma, apesar de defendê-la. “Também estamos preocupados com o que estamos vendo. No entanto, a elite não aceita um governo democrático popular e os grandes veículos querem forçar que a gente aceite aquilo que eles divulgam”, disse sobre os movimentos contrários que estão surgindo em Mato Grosso do Sul e no País.

Além dele, participaram os deputados federais Zeca do PT e Vander Loubet (PT), os estaduais Pedro Kemp (PT), João Grandão (PT), os vereadores Thaís Helena e Alex do PT. Também estiveram presentes o presidente da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), Roberto Botarelli, e da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Genilson Duarte, e o ex-deputado Antônio Carlos Biffi.

Amarildo ressaltou que a elite e os grandes veículos de comunicação querem passar uma realidade do governo federal que não corresponde à verdade. afirmou.

 




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions