A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

13/06/2011 10:37

MP paulista investigará publicidade em Campinas, fraudes podem chegar ao MS

Ítalo Milhomem

O Ministério Público em Campinas (SP) irá fazer uma devassa nas contas de publicidade da prefeitura do município. Um dos alvos investigados é o publicitário Eduardo Godoy, conhecido com “Dudu”, que é ex-secretário de comunicação no governado Zeca do PT, entre 1999 e 2000. Ele também atuou como marqueteiro do ex-presidente Lula em 1998 e era responsável pela conta publicitária da prefeitura de Campinas.

Dudu é citado nas investigações que desmembraram uma suposta quadrilha de agentes públicos, entre prefeito, vice-prefeito, secretários municipais e empreiteiros que fraudavam licitações e criaram um “mensalinho” entre as autoridades públicas de Campinas.

Ele teria cedido as salas de sua empresa para reuniões entre o ex-presidente da Sanasa (Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento) Luís Aquino, delator do suposto esquema e o grupo de lobbystas, que podem ter causado um prejuízo de R$ 615 milhões aos cofres públicos campinenses. A imprensa paulista afirma que publicitário confirma a reunião, mas nega que tenha participado dela.

Outros dois publicitários, sócios da empresa NDEC, Giovane Favieri e Armando Peralta Barbosa podem ter ligação com escândalos de “Campinas” e também serão investigados. Os dois fizeram a campanha do prefeito de Campinas, Dr. Hélio em 2004.

Os três homens da publicidade campinense entraram para grupo chamado “República de MS”. Favieri e Peralta tiveram envolvimento como possível “mensalão” da publicidade queria ocorrido na gestão do ex-governador Zeca do PT. Os dois prestavam serviços de publicidade ao governo por meio da NDEC.

De acordo com a reportagem do jornal O Estado de São Paulo, os dois publicitários NDEC são réus em dois processos em Mato Grosso do Sul, que investigam desvios de R$ 30 milhões de verbas públicas destinadas a publicidade. Segundo a denuncia do Ministério Público sul-mato-grossense, eles vendiam notas fiscais fantasmas de serviços não prestados ou superfaturados.

Dudu não era secretário de comunicação do governo na época em que os possíveis desvios da publicidade foram detectados, porém o STF (Supremo Tribuna Federal) autorizou que ele seja ouvido a pedido da PGR (Procuradoria Geral da República) sobre o suposto esquema.

Godoy tem uma das suas empresas, a “Quê Comunicação”, que é uma das três agências que detêm a conta de publicidade da Petrobrás. A empresa já teria faturado R$ 340 milhões em verbas de publicidade com a estatal.

Segundo o jornal paulista, Dudu tem laços de amizade com o gerente-executivo de Comunicação da estatal, Wilson Santarosa, que também é de Campinas. Santarosa teria ligação com o vice-prefeito Demétrio Vilagra, que também é investigado nas supostas fraudes na Sanasa.

Os três serão investigados pelo Ministério Público se tiveram ou mantém contratos com a prefeitura e se eles têm alguma ligação com as fraudes descobertas na gestão Dr. Hélio.

Temer diz que adiamento da reforma da Previdência foi 'ótimo' para ganhar votos
O presidente Michel Temer procurou mostrar otimismo ao falar sobre a reforma da Previdência ao dar posse ao deputado federal Carlos Marun (PMDB-MS) c...
Diretor da PF entrega ao STF relatório de investigação sobre ministros
O diretor-geral da Polícia Federal, Fernando Segóvia, entregou hoje (15) à ministra Cármen Lúcia, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), um re...
TRE realiza plantão para cadastramento biométrico neste sábado na Capital
O TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) realiza neste sábado mais um plantão para atender eleitores de Campo Grande que ainda nã...


É uma pena que nunca dá nada,só pizza.
 
nilson franco de oliveira em 13/06/2011 12:04:36
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions