A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Março de 2019

08/03/2019 12:48

Mulheres pedem mais espaço na política e não apenas cotas em partidos

Elas citam a falta de estrutura para as mulheres nos partidos, além das denúncias de laranjas

Leonardo Rocha
Mais de 20 mulheres serão homenageadas na Assembleia (Foto: Assessoria/ALMS)Mais de 20 mulheres serão homenageadas na Assembleia (Foto: Assessoria/ALMS)

A Assembleia homenageou mais de 20 mulheres, que contribuíram e são destaques na sociedade, durante esta manhã (08). Elas ressaltaram que é preciso dar mais espaço para o público feminino na política e não apenas “preencher” cotas e reservas aos partidos, assim como servir de casos de “laranja”, como houve repercussão nacional.

“O espaço (político) é muito pequeno, em muitos casos para servir de cota na campanha, sem a devida estrutura de fato concedida pelas legendas. Temos que lembrar que a mulher não pode ser laranja, como houve em denúncias nacionais”, disse a professora Carolina Marques Rosa, que atua junto aos movimentos sociais.

Marques inclusive citou que “cota de 30% nos partidos”, na verdade é de gênero, ou seja, poderia ser 70% de candidatas mulheres e o restante de homens. “Sabemos que na prática é bem diferente, ainda precisamos buscar espaço em todos os setores da sociedade e comunidade”.

Para Mara Rubia Benites, que atua em defesa das crianças autistas, as mulheres têm pouco espaço nos partidos, em muitos casos com estrutura menor do que os demais candidatos. “Temos que ser muito mais do que apenas a cota feminina da campanha, como cidadão temos que ter direitos iguais, não aparecer no noticiário como laranjas, para obtenção de recursos partidários”.

Sistema - A pedagoga Therezinha de Alencar Selem, vice-presidente da AACC (Associação dos Amigos das Crianças com Câncer), disse que o sistema político atual também não ajuda nesta representação. “Por conta dos partidos, esta votação para as mulheres ainda não é consolidada. Estamos andando, mas faltam muito quilômetros pela frente”.

A psicóloga Vera Simone Adames, cita outro fato importante na busca por espaço. “Também precisamos acostumar o eleitorado feminino a votar nas mulheres, porque somos maioria dos votos. Tem muita gente trabalhando por este espaço”.

Já a professora Remy Domingos dos Santos, citou que tem muitas jovens capacitadas surgindo, que vão se posicionar e exigir mais espaços nas legendas. “Nunca pensei em entrar (política), porque meu foco sempre foi a educação, mas está vindo gente muito preparada para a função”.

Ex-deputada Dione Hashioka falou em nome das homenageadas (Foto: Assessoria/ALMS)Ex-deputada Dione Hashioka falou em nome das homenageadas (Foto: Assessoria/ALMS)

Solenidade – Todas as homenageadas, que foram indicadas pelos deputados, receberam o troféu “Celina Jallad”, além de um buquê de flores, durante a solenidade.

A ex-deputada Dione Hashioka discursou em nome delas, lembrando que ainda existem muitos desafios pela frente. “Precisamos de salários iguais, moradias dignas e combate efetivo contra violência à mulher”.

Para subsecretária de Políticas Públicas às Mulheres, Luciana Azambuja, o foco do governo estadual continua sendo a luta contra qualquer tipo de violência ao público feminino, assim como fortalecer os direitos das mulheres.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions