A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

24/03/2010 07:46

Murilo condiciona apoio e pode ser trocado por Geraldo

Redação

O vice-governador Murilo Zauith (DEM) está condicionando sua candidatura ao Senado à indicação de um suplente intimamente ligado a André Puccinelli (PMDB), mas pode acabar sendo trocado pelo deputado federal Geraldo Resende (PMDB).

Depois de fazer muito barulho, incluindo a campanha "Sim, nós queremos um senador para Dourados", Murilo agora recua e diz que só vai ser candidato se tiver como parceiro um político com o "DNA" de Puccinelli.

As duas opções de Murilo são os secretários Edson Giroto (Obras) e Carlos Marun (Habitação). Porém, o vice-governador tem consciência das dificuldades de composição e pode acabar desistindo do projeto.

Neste caso, Geraldo Resende já começou a ser sondado para ocupar a vaga. Ele iria para o sacrifício com a garantia de ser secretário de Estado em caso de não conseguir se eleger senador.

Também teria garantido o apoio de Puccinelli para disputar a prefeitura de Dourados em 2012, seu maior sonho político.

Assim, o governador tentaria a reeleição com chapa puro-sangue do PMDB, uma vez que nesta quarta-feira ele anuncia o nome da prefeita de Três Lagoas, Simone Tebet (PMDB), como vice em sua chapa.

Apesar dos fortes indícios de mudanças na chapa majoritária, Geraldo diz desconhecer a manobra, que segundo analistas políticos, também pode estar sendo aventada para forçar Murilo a ir para o sacrifício.

"Não quero fazer conjectura acerca da mudança da chapa. Espero que a gente possa preencher a chapa e ter um candidato viável, até porque há um pleito antigo. Acho que a bola da vez está com o Murilo, que há dois anos trabalha nesse sentido", declarou, desconversando sobre a possibilidade de substituir o colega douradense no projeto.

Murilo afirma que não tem um "plano B" se André negar a indicação de Giroto ou Marun para a chapa.

"Só penso nesses nomes.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions