A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 23 de Setembro de 2018

01/08/2018 10:59

Na volta da Assembleia, preocupação de emedebistas é manter aliança ao governo

Dos sete deputados do MDB, seis vão disputar a releição. Takimoto vai tentar uma vaga na Câmara Federal

Viviane Oliveira e Leonardo Rocha
Deputado Márcio Fernandes acredita que quem já estava com o partido deve continuar, mesmo com a mudança (Foto: divulgação/Assembleia Legislativa) Deputado Márcio Fernandes acredita que quem já estava com o partido deve continuar, mesmo com a mudança (Foto: divulgação/Assembleia Legislativa)

Na volta dos deputados estaduais ao trabalho nesta quarta-feira, um dos assuntos que domina os debates é a preocupação dos parlamentares do MDB com a aliança do partido na disputa pelo governo do Estado. Com uma bancada de 7 parlamentares, o receio é perder aliados com a substituição da candidatura do ex-governador de Mato Grosso do Sul, André Puccinelli, preso desde o dia 20 de julho, pela da senadora Simone Tebet.

Segundo o deputado Márcio Fernandes, há uma boa expectativa em torno do nome da senadora. “Ela é experiente, ficha limpa, competente, bem relacionada em Brasília para conduzir o partido na eleição em Mato Grosso do Sul”, disse. Ele entende que os aliados que já estavam com o partido vão continuar independente da mudança de candidato porque já estavam alinhados no projeto político.

O partido ainda não desistiu e espera contar com DEM (Democratas) na coligação. “O MDB deve ter duas chapas para deputado estadual, sendo uma do próprio partido e a outro com os aliados para continuarem entre as maiores bancadas da assembleia. Atualmente, com sete deputados. Além de Márcio Fernandes, compõem o quadro: Junior Mochi, Renato Câmara, Eduardo Rocha, Antonieta Amorim,Paulo Siuffi e George Takimoto.

O deputado Renato compartilha da mesma opinião. Segundo o parlamentar, o MDB tem uma chapa competitiva que pode eleger por volta de cinco a seis deputados estaduais, um deputado federal. Dos partidos aliados, ele acredita que a maioria vai continuar com o partido mesmo com a mudança. “Pode haver a saída de um ou outro para fechar com adversários”, afirmou.

Renato Câmara disse que André Puccinelli já havia organizado a campanha  (Foto: divulgação/Assembleia Legislativa) Renato Câmara disse que André Puccinelli já havia organizado a campanha (Foto: divulgação/Assembleia Legislativa)

Organização - Renato Câmara também adiantou que os ex-governador André Puccinelli já tinha organizado a campanha do partido e Simone “não pegou o carro parado” e sim andando, com tudo organizado.

Ele disse que o deputado Júnior Mochi está fazendo reuniões com os aliados para acertar os últimos detalhes de como vão ficar as chapas. Questionados sobre quais os partidos estão aliados, os deputados preferiram a descrição e não antecipar quem já está fechado com a legenda. Dos sete deputados do MDB, seis vão disputar a releição. Takimoto vai tentar uma vaga na Câmara Federal.

Na última coletiva que o partido realizou no dia 20 de julho, estavam presentes representantes do PHS (Partido Humanista da Solidariedade), PMN (Partido da Mobilização Nacional), PEN Patriota, PSDC (Democracia Cristã), PRTB (Partido Renovador Trabalhista Brasileiro), PR (Partido da República), PTC (Partido Trabalhista Cristão), PRP (Partido Republicano Trabalhista) e Avante.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions