ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUARTA  29    CAMPO GRANDE 16º

Política

Para manter nota 10 em transparência, governador vai treinar servidores

Em lançamento de 2ª fase do Programa MS de Integridade, municípios são convidados a participar da inovação

Por Gabriela Couto e Adriel Mattos | 17/11/2021 12:50
Lançamento de nova vase do PMSI (Programa MS de Integridade) foi realizado no auditório do Imasul. (Foto: Paulo Francis)
Lançamento de nova vase do PMSI (Programa MS de Integridade) foi realizado no auditório do Imasul. (Foto: Paulo Francis)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) lançou hoje (17), a 2ª fase do PMSI (Programa MS de Integração). Depois de dois anos e meio de implementação, vários procedimentos foram identificados como pontos a serem melhorados na gestão pública estadual e 17 planos de ações serão utilizados a partir de agora, sendo o principal deles, o treinamento dos servidores de todas as secretarias para garantir que irregularidades não ocorram na administração.

"Quando assumi em 2014, o Estado era último em transparência e agora, já atingimos a nota 10 nos dois últimos anos. Queremos ampliar isso. Com treinamento das equipes de cada uma das secretarias, para manter as boas práticas do serviço público", destacou o governador.

Segundo Azambuja, o controle criado pelo PMSI trouxe mais resultados e transparência. "A adesão unânime dos municípios demonstra interesse para buscar eficiência e boas práticas do serviço público. Diminuir e melhorar execução de processos. É uma ferramenta que Controladoria e Tribunal de Contas estão oferecendo. É possível fazer política com transparência."

Com cruzamento de dados para controlar informações e evitar irregularidades, o Estado se torna um atrativo para os investidores, que enxergam a segurança em fazer negócios no local. Por isso, o controlador-geral do Estado, Carlos Eduardo Girão de Arruda, fez questão de destacar o novo PIM (Programa de Integridade Municipal).

"Precisamos levar esse trabalho de 30 meses. Estamos lançando uma campanha de endomarketing para que servidores se sintam parte do processo e possam melhorar gestão, inclusive, cobrando a implantação dos planos de ações", explicou.

O programa será implantado em três etapas, que serão dividias em mobilização, capacitação e projeto-piloto assistido. As dúvidas poderão ser sanadas por meio do e-mail pim@cge.ms.gov.br ou pelo telefone (67) 3318-4053. Os prefeitos interessados tem até o dia 30 de dezembro para procurar a CGE (Controladoria-Geral do Estado). A capacitação começa no dia 15 de dezembro.

"Tenho plena certeza de que vai melhorar gestão das cidades. Em seis meses, as prefeituras poderão ver resultados práticos. São programas que conversam com Programa Nacional de Combate à Corrupção. Pretendemos atender todos e se houver ampla adesão, haverá seleção de municípios, com critérios a serem discutidos com Assomasul", acrescentou Girão.

Para o ministro-chefe da CGU (Controladoria-Geral da União), Wagner Rosário, o programa faz parte de uma mudança de cultura. "Toda vez que falamos de controle, falamos da implantação de recursos e procedimentos, não é muito prazeroso, é duro. Cada secretário tem que entregar resultados. Estamos mudando a cultura para que não precisemos mais de controle. Às vezes, é mais caro colocar controle do que não colocar, mas é uma mudança necessária para crença maior nos governantes."

Ele se referiu ao trabalho realizado no Estado como um legado. "O trabalho a ser entregue, não é trabalho dessa gestão, é legado para melhor trato dos recursos públicos e no comportamento dos servidores. Além disso, quem vai colocar dinheiro no Brasil, quer saber se as instituições têm controle. O Brasil propôs Plano de Integridade na ONU e terei honra de levar o Mato Grosso do Sul como exemplo", concluiu o ministro.

Nos siga no Google Notícias