A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

09/08/2011 10:20

PF prende secretário executivo do Ministério do Turismo e 37 pessoas

Lourenço Canuto, da ABr

Ao todo foram cumpridos 19 mandados de prisão preventiva, 19 de prisão temporária e sete de busca e apreensão em São Paulo, Brasília e Macapá. Cerca de 200 policiais federais atuaram na operação.

Trinta e oito pessoas foram presas durante a Operação Voucher, deflagrada pela Polícia Federal (PF) na manhã de hoje (9). A ação, em conjunto com o Ministério Público Federal e a Secretaria de Controle Externo do Amapá, investiga supostos desvios de verbas públicas repassadas ao Ministério do Turismo, por meio de emendas parlamentares, destinadas a convênios para qualificação profissional.

Entre os presos estão o secretário executivo do Ministério do Turismo, Frederico Silva da Costa, número dois na hierarquia da pasta, que estava em casa; o secretário nacional de Programas de Desenvolvimento do Turismo, Colbert Martins; o ex-presidente do Instituto Brasileiro de Turismo (Embratur), Mário Moisés, além de diretores e funcionários do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento de Infraestrutura Sustentável (Ibrasi) e empresários.

Ao todo foram cumpridos 19 mandados de prisão preventiva, 19 de prisão temporária e sete de busca e apreensão em São Paulo, Brasília e Macapá. Cerca de 200 policiais federais atuaram na operação.

Segundo a PF, os presos preventivamente em São Paulo e em Brasília foram levados para Macapá em aviões da própria PF. De acordo com investigações feitas pela Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários no Amapá, foram apurados fortes indícios de desvio de recursos públicos, além de outras irregularidades na execução de convênio entre o Ministério de Turismo e o Ibrasi, ligado à capacitação profissional para o turismo no Amapá.

Marun ainda quer votar relatório da JBS antes de posse no ministério
Na véspera de ser empossado como ministro da Secretaria de Governo, o deputado Carlos Marun (PMDB-MS), relator da Comissão Parlamentar Mista de Inqué...
Senado aprova R$ 1,9 bi a estados para compensar desoneração de exportações
Após suspender a sessão do Congresso Nacional, o presidente do Senado, Eunício Oliveira (PMDB-CE), retomou os trabalhos do plenário da Casa com o obj...
Temer discutirá data de votação da reforma da Previdência nesta quinta
O anúncio do líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR), de que a votação da proposta de reforma da Previdência ficará para fevereiro causou r...


Tem que construir um muro em volta de Brasília, colocar o Exército para controlar a "entrada" e começar tudo de novo.
 
valter antunes em 09/08/2011 11:52:48
- Concordo plenamente com o cidadão que falou antes de mim, prender é o caminho, parabéns para a PF que como sempre é sutil, perspicaz e incisiva; porém, só prender por si só não basta. O que realmente importa é o ressarcimento do ERÁRIO NACIONAL. Ainda nos lembramos do NicoLALAU dos Santos Neto, juiz do TRT de SP, e da JORGINA, A !DONA! do INSS. Cadê a grana? Melhor.. mais de 100 milhões com a Jorgina e 170 milhões com o NicoLALAU.... O Brasil, que somos todos nós, exige a devolução da grana imediatamente e cadeia aos colarinhos brancos.... Parabéns PF, a instituição mais limpa desse pais. Adelante Brasil.
 
Zuza Ratier em 09/08/2011 11:10:17
Tem que prender e fazer devolver o valor roubado, depois aplica uma pena alternativa e demite do serviço atual. Essa é a medida, ficar enchendo cadeia para comer as nossas cstas não adianta. O principal e devolver o prejuizo seja nesse caso ou um robo de uma TV, tem qu ser devolvida a vítma.
 
luiz alves pereira em 09/08/2011 10:35:51
A PF poderia investigar todos os Ministérios, desde a era Sarney, seria possível? Queremos nosso suado dinheirinho de volta para onde nunca deveria ter saido. Cadeia para ,os ladrões e algemas n'eles. Parabéns PF e Ministério Público.
 
gloria aparecida em 09/08/2011 09:55:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions