A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

17/12/2013 08:16

PMDB isenta Edil e assume que pode votar por cassação de Bernal

Kleber Clajus
Apenas Edil, que preside a Comissão Processante, não participou de deliberação sobre cassar Bernal (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)Apenas Edil, que preside a Comissão Processante, não participou de deliberação sobre cassar Bernal (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)

A bancada do PMDB na Câmara Municipal decidiu, na segunda-feira (17), que confirmadas denúncias de “fabricação de emergências” supostamente realizadas pelo prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), o partido apoiará sua cassação. Apenas Edil Albuquerque não participou da decisão, pois preside a Comissão Processante e precisa “agir como magistrado”.

De acordo com a presidente municipal da sigla, Carla Stephanini, “estando provadas as denúncias apontadas nós iremos apoiar em Plenário a cassação de Bernal”. O prefeito enfrenta investigação na Câmara por suposta “fabricação de emergências”, que resultou na contração sem licitação das empresas Salute, Megaserv e JaGás.

Uma das preocupações no momento de deliberar sobre o tema foi o de abster o presidente da Comissão Processante, Edil Albuquerque, para que a decisão não interfira nos trabalhos, que podem resultar no pedido de cassação do progressista.

O encontro também serviu para realinhar o partido, com explicações de Paulo Siufi sobre a indicação de sua prima, Lilliam Maria Maksoud Gonçalves, como titular do IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), além de seis cedências para seu gabinete em simultâneo. Siufi já havia negado sugestão do nome à Bernal e apontado que a cedência, mesmo que legal, foi solicitada em janeiro e só neste momento liberada.

“Houveram coincidências, mas o assunto está superado. O vereador ficou de apresentar ofício a Mesa Diretora da Câmara declinando das cedências. Foi um ato isolado de aproximação que, de acordo com Siufi, não ocorreu”, esclarece Stephanini.

A dirigente municipal também assegurou que após a reunião “não há nenhum ponto de divergência e a bancada age de forma uníssona”.

O presidente do diretório estadual, deputado Junior Mochi, também acompanhou o encontro.



Não suportamos mais ver vossas caras na TV e Jornais, falando nessa briguinha indigesta entre Vereadores e a Prefeitura! Vão trabalhar em prol de nossos bairros. Em vez de querer derrubar o Prefeito, ajudem ele a levar asfalto, esgoto e bom atendimento nos postos de saúde. Pra Vereador eu não voto mais!
 
Valter Oliveira em 17/12/2013 14:11:38
Realmente uma nova eleição para decidir ... o povo é quem deveria escolher. noa ofoi o povo quem o colocou, entao seria mais justo.
 
thiago da silva em 17/12/2013 13:33:15
Só não entendo por que não o venceram no voto, agora vem com esse golpe.Coisa de desesperado, pois como já sabem que serão derrotados nas urnas novamente insiste nesse golpismo.Coisa de Coronéis.
 
Juarez Delmondes em 17/12/2013 13:13:32
O PMDB não vai sossegar, perdeu as eleições e não deixou o Bernal administrar, se julga acima dos votos que o povo deu. Democracia sim, democradura nunca mais.
 
leidy neves em 17/12/2013 12:40:29
Este é o caminho certo,para qualquer partido que queira vencer o PT nas eleições do ano que vem...
Quem está apoiando político que corre de investigações,é da mesma LAIA....e nem deveria estar no poder...Mas as eleições estão aí,e daremos o troco!Nosso voto não é lixo
 
Tiago Plac em 17/12/2013 11:09:40
A MINHA OPINIÃO FOI O POVO QUEM VOTOU NELE, E COLOCOU ELE NO PODER, ENTÃO O MAIS JUSTO SERÁ CONSULTAR A POPULAÇAO SE ELE DEVE SER CASSADO OU NÃO.
 
GILSON RUFOS em 17/12/2013 09:28:05
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions