ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SEXTA  17    CAMPO GRANDE 35º

Política

PMDB isenta Edil e assume que pode votar por cassação de Bernal

Por Kleber Clajus | 17/12/2013 08:16
Apenas Edil, que preside a Comissão Processante, não participou de deliberação sobre cassar Bernal (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)
Apenas Edil, que preside a Comissão Processante, não participou de deliberação sobre cassar Bernal (Foto: Marcos Ermínio / Arquivo)

A bancada do PMDB na Câmara Municipal decidiu, na segunda-feira (17), que confirmadas denúncias de “fabricação de emergências” supostamente realizadas pelo prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), o partido apoiará sua cassação. Apenas Edil Albuquerque não participou da decisão, pois preside a Comissão Processante e precisa “agir como magistrado”.

De acordo com a presidente municipal da sigla, Carla Stephanini, “estando provadas as denúncias apontadas nós iremos apoiar em Plenário a cassação de Bernal”. O prefeito enfrenta investigação na Câmara por suposta “fabricação de emergências”, que resultou na contração sem licitação das empresas Salute, Megaserv e JaGás.

Uma das preocupações no momento de deliberar sobre o tema foi o de abster o presidente da Comissão Processante, Edil Albuquerque, para que a decisão não interfira nos trabalhos, que podem resultar no pedido de cassação do progressista.

O encontro também serviu para realinhar o partido, com explicações de Paulo Siufi sobre a indicação de sua prima, Lilliam Maria Maksoud Gonçalves, como titular do IMPCG (Instituto Municipal de Previdência de Campo Grande), além de seis cedências para seu gabinete em simultâneo. Siufi já havia negado sugestão do nome à Bernal e apontado que a cedência, mesmo que legal, foi solicitada em janeiro e só neste momento liberada.

“Houveram coincidências, mas o assunto está superado. O vereador ficou de apresentar ofício a Mesa Diretora da Câmara declinando das cedências. Foi um ato isolado de aproximação que, de acordo com Siufi, não ocorreu”, esclarece Stephanini.

A dirigente municipal também assegurou que após a reunião “não há nenhum ponto de divergência e a bancada age de forma uníssona”.

O presidente do diretório estadual, deputado Junior Mochi, também acompanhou o encontro.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário