A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

22/12/2010 17:42

PP vai à justiça para ficar com vaga de Bernal na Câmara

Jorge Almoas e Fernanda França
PP quer indicar suplente do partido para a vaga de Bernal, eleito deputado estadual.(Foto: João Garrigó)PP quer indicar suplente do partido para a vaga de Bernal, eleito deputado estadual.(Foto: João Garrigó)

A direção do PP (Partido Progressista) entrou com pedido judicial e solicitou oficialmente ao presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, Paulo Siufi (PMDB, questionando a substituição do vereador Alcides Bernal (PP), eleito deputado estadual nas eleições de 2010.

Pela ordem de suplência da coligação que elegeu Bernal em 2008, Athayde Nery (PPS) deve assumir a vaga na Câmara de Vereadores quando o progressista assumir a cadeira de deputado estadual.

No entanto, o PP, baseado em decisão liminar do dia 9 de dezembro do STF (Supremo Tribunal Federal) – que destinou vaga de suplência ao partido e não à coligação, em Rondônia – quer indicar Luis Pedro Guimarães para a vaga.

Siufi disse ter acionado a assessoria jurídica da Câmara sobre o pedido e que vai ouvir o TRE (Tribunal Regional Eleitoral) sobre o que pode ser feito neste caso.

O suplente do PP, Luis Pedro Gomes Guimarães, é natural de Bandeirantes e foi candidato a vereador em 2008, recebendo apenas 1.803 votos. Nas eleições municipais de 2004, ele foi vice na chapa de Antônio Cruz (PP), que recebeu 23.952 votos.

De acordo com Siufi, Alcides Bernal e Cabo Almi (PT), que também se elegeu deputado estadual, devem pedir a renúncia em janeiro.

Parecidos - A situação da suplência de Bernal na Câmara é semelhante ao caso que envolve a vaga de Carlos Marun na Assembleia Legislativa.

Como ficou licenciado do cargo para assumir a Secretaria de Habitação no primeiro mandato de André Puccinelli, Marun pode continuar no cargo, o que abre espaço para o suplente assumir vaga na Assembleia.

Pela coligação, o suplente é o tucano Rinaldo Modesto (PSDB), que não se elegeu em outubro. Porém, com base na decisão do STF, o também derrotado Youssif Domingos (PMDB) procura ser indicado à vaga de Marun.



NO BRASIL, NÃO É DEMOCRACIA, POIS DEMOCRACIA E PREDOMINAR, A VNTADE DA MAIORIA, ENTÃO JÁ COMEÇA PELO ERRO DO COEFICIENTE ELEITORIAL, ONDE É ELEITO O COEFICIENTE NÃO OS MAIS VOTADOS, ESTA TUDO ERRADO DESDE O PRINCÍPIO, DEMOCRACIA É SER ELEITO OS MAIS VOTADOS, NO ENTRANTO NÃO É, É UMA VERGONHA PARA AS DECISÕES POLÍTICAS, QUE NÃO RESPEITAM A VONTADE POPULAR, POLÍTICO É MAIS VOTADO, MAS NÃO ASSUME, COM A DECISÃO DO STF, É LÓGICA, QUE A VAGA DO SUPLENTE É DO PARTIDO, MAS TAMBÉM É LÓGICA, QUE O PARTIDO TERÁ QUE BANCAR TODA A CAMPANHA DOS CANDIDATOS, QUE NÃO VEM ACONTECENDO, PARTIDO NENHUM VEM BANCANDO CAMPANHA DOS CANDIDATOS, ENTÃO TERÃO OS DEPUTADOS FEDERAIS E SENADORES, REGULAMENTAREM URGENTEMENTE A POSIÇÃO, E APROVAREM UMA LEI SECA E DEFINITIVA, POIS ATÉ UM MOMENTO É UMA VERGONHA AS TOMADAS DE DECISÕES SOBRE RESULTADOS POLÍTICOS, E O POVO ESTA CADA VEZ MAIS DESACREDITADO, POLÍTICOS SÃO ELEITOS, PARA SEREM PAIS, ADVOGADOS DO POVO, JUIZES, ADMINISTRADORES DOS DIREITOS SOCIAIS, NÃO ESTA BANGUNÇA QUE DEIXA O POVO ESTRESSADO, DESENTENDIDO, NINGUÉM TEM UM RUMO CERTO, PERGUNTO, SERÁ QUE ELES NÃO RESPEITAM DEUS E O POVO, O POVO, PRECISA COBRAR COM A DEMISSÃO PLEBICITÁRIA E MANIFESTO, E ESPULSAR OS ELEITOS POR ELES, SE NÃO A COISA VAI A CADA MOMENTO, PARA O CAOS SOCIAL, ESSE É O MEU DESABAFO, A VONTADE POPULAR, VOTO, PRECISA SER RESPEITADO, POIS MAIORIA É LEI, É DECISÃO, PEÇO QUE O STF, VEJA DIFERENTE, NÃO UMA MINORIA MANDAR NA MAIORIA, ESTÁ O STF, E OUTRAS, TOMANDO DECISÃO SEM CONSULTAR O PRINCÍPIO DO DIREITO POPULAR, NÃO É PARTIDO QUE MANDA E SÍM A VONTADE POPULAR, QUE DEUS DE INTELIGÊNCIA E SABEDORIA AOS JUIZES, MINISTROS DA JUSTIÇA E RESPEITEM A MAIORIA E NÃO SIGLAS PARTIDÁRIAS, O POVO VOTA NO CANDIDATO, E NÃO NO PARTIDO, UM ABRAÇO, DEUS ABENÇOEM, E JULGUEM COM BRIO EM DEUS.
 
PEDRO BRAGA em 11/03/2011 07:35:34
Só mesmo neste país.
Um candidato que teve mais de 5.000 votos não assume a cadeira.
E outro que teve somente 1.800 assume.
A vontade da maioria (eleitores) não é levada em consideração.
É a falta de respeito eleitoral que impera nesta democracia fajuta.
 
Renato Gonçalves em 03/01/2011 02:38:12
Vamos lembrar que a coligação no ato de sua existência não discrimina partidos ou grupos, já que todos buscam juntos o coificiente eleitoral, e desse forma é legitimo que todos possam usufruir do direito de posse ou de pleitear a vaga conquistada pela coligação. Como pode, imaginem só, serve para a contagem de voto, mas não serve para empossar um supplente de outro partido. Só no Brasil que essas coisas acontecem mesmo, um país que muda tudo em favor de poucos.

 
ANDERSON RIBEIRO em 28/12/2010 07:49:26
Amigos, é muito comum um partido ou outro lançar apenas um candidato em uma coligação de vários partidos, imaginemos, se ele eleito vereador e no pleito seguinte deputado, quem assume? Legenda é uma soma de votos da coligação que se tornam comuns, daí parte o princípio democrático, quem individualmente tiver maior número de votos é democráticamente o "da vez", para os partidos que não concordam, o STF tem uma alternativa, "chapa pura". "Volto a repetir, os critérios permanecem até que se de ao povo uma nova oportunidade de escolha", nesse caso até 2012.
 
Agrimar Felix em 24/12/2010 10:33:35
A legenda é faculdade atribuída aos partidos políticos para disputa do pleito, tendo caráter temporário e restrito ao processo eleitoral, ou seja, serve apenas no tempo que dura a eleição. O mandato parlamentar conquistado no sistema eleitoral proporcional pertence ao partido, ou seja, a sucessão na suplencia pertence ao PARTIDO. Respondido :)
 
Andrea Cristina em 23/12/2010 12:17:48
Os casos citados acima não são parecidos. Marun vai se licenciar, já Alcides Barnal não, ele deixa o cargo de vereador para assumir outro.
O STF entende que no caso do PP, quem assume a vaga é candidato do Partido e não coligação.
Coligação serve para você tomar posse no momento da eleição, depois não mais. Abraços
Francisco de Paula Ramos
 
Francisco de Paula em 23/12/2010 10:27:57
sou secretario executivo do pp.realmente entendemos que a coligaçao se encerra com a posse dos eleitos.a partir dai a substituiçao por licenciamento de eleito e da coligação mas por renunçia é do partido.caso contrario o partido ficaria prejudicado.por isto pleiteamos a vaga.
 
francisco de sá em 23/12/2010 09:37:46
De nada vale ter mais de 5.000 votos como o caso candidato Vanderlei Pinheiro (Delei) e ficar ate h jsem a oportunidade...
 
roberta costa em 23/12/2010 09:19:50
Eu penso que não adianta tanta briga assim por uma vaga, uma vez q qq um que assumir vai continuar não fazendo nada, como sempre.........
 
Regina Celia em 23/12/2010 08:46:30
Vamos ver se o TRE de MS vai ter coragem de peitar o STF...
 
PEDRO LIMA em 23/12/2010 08:13:07
Minha cara "Andrea Cristina" e caros leitores, a legenda é faculdade atribuída aos partidos políticos para disputa de pleito com validade restrita a cada eleição sim, mas devemos lembrar que a eleição de 2008 é válida por 4 anos, portanto, os critérios relacionados aos resultados do referido pleito permanecem...
 
Agrimar Felix em 23/12/2010 02:10:01
Pede para o PP lembrar que o Sr. Luiz Pedro até o presente momento não pagou a sua equipe que trabalhou para o mesmo na campanha de 2008. E após isto, eles reclamam a vaga que será deixada pelo agora Deputado Estadual Alcides Bernal.
 
Ildo Miola Junior em 22/12/2010 09:09:20
O PROFESSOR RINALDO ALEM DE NÃO TER CORRESPONDIDO A ALTURA O CARGO QUE LHE FOI DADO,AINDA NÃO VESTIU A CAMISA DO ANDRE NA CAMPANHA
 
CLAUDIO ELVIS CAMARGO em 22/12/2010 08:34:00
Para que serve a legenda então??? Prof. Rinaldo teve mais votos que muitos candidatos que foram eleitos este ano, mesmo assim ficou como suplente, se for contabilizar assim ele esta eleito.
 
Helton da Costa Bittencourt em 22/12/2010 06:43:01
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions