A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 28 de Maio de 2017

26/10/2016 11:05

Prefeito admite que pode reduzir custo com pessoal para cumprir a LRF

Bernal, no entanto, garante que nenhuma medida neste sentido já foi adotada pela Prefeitura

Mayara Bueno e Richelieu de Carlo
Prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). (Foto: Richelieu de Carlo)Prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). (Foto: Richelieu de Carlo)

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), disse nesta quarta-feira (26) que qualquer definição no sentido de reduzir o custo com o funcionalismo municipal só sairá na primeira quinzena de novembro. No entanto, nenhuma medida neste sentido foi tomada até o momento, segundo ele: "não há nada definido”.

Esta semana, circulou a informação de que o município já determinou a readequação de gastos com pessoal, como no caso de plantões médicos e de enfermagem. Oficialmente, o prefeito e o secretário municipal de Saúde, Ivandro Fonseca, negam ato neste sentido.

Segundo o prefeito, a história “não passa de mentira de época de campanha”. Embora não tenha dado detalhes, ele apenas informou que “está agindo de acordo com o que determina a lei”.

A legislação a que se refere é a LRF (Lei de Responsabilidade Fiscal), que, entre outras coisas, impõe limite de gastos de pessoal.

Em relação à Omep (Organização Mundial pela Educação Pré-Escolar) e Seleta Sociedade Caritativa e Humanitária, entidades com quem o Município mantém convênios, Bernal afirmou que não fará demissões em massa. A Prefeitura foi obrigada pela Justiça a despedir 4,3 mil funcionários e tem feito até agora parte das exonerações.

“Não podemos gerar uma crise de desemprego na Capital e nem deixar o serviço público quebrar”, pontuou.

Caso de polícia – O secretário de Saúde, Ivandro Fonseca, afirmou, na terça-feira (26), que iria à Polícia para registrar boletim de ocorrência sobre a informação, segundo ele mentirosa, de que teria autorizado cortes de gastos no setor.

Fonseca também disse que o ato era uma tentativa de desestabilizar a administração municipal. Ele confirma, apenas, ter solicitado um estudo sobre eventual necessidade de cortes, com base na LRF, mas sem qualquer ordem de redução de pessoal.

*Matéria editada para correção de informação às 11h13. Não trata-se de corte de servidores e sim redução da folha de pagamento.

Servidores municipais relatam transtornos causados por atraso de salários
Salários atrasados e nome negativado, situações que não são novidade para os 120 servidores efetivos da educação municipal de Bela Vista, cidade dist...
Prefeitura vai prestar contas do 1º quadrimestre em audiência na Câmara
A prefeitura de Campo Grande realiza no próximo dia 31 a prestação de contas do primeiro quadrimestre de 2017. Durante audiência publica na Câmara M...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions