A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 22 de Agosto de 2017

11/05/2017 09:54

Procurador acompanha buscas da Polícia Federal na secretaria de Fazenda

Richelieu de Carlo e Yarima Mecchi
Momento em que o procurador chega à sede da Sefaz. (Foto: Marina Pacheco)Momento em que o procurador chega à sede da Sefaz. (Foto: Marina Pacheco)

Um dos procuradores do Governo do Estado chegou agora a pouco na sede da Sefaz (Secretaria Estadual de Fazenda), onde equipes da Polícia Federal e da CGU (Controladoria-Geral da União) fazem buscas de documentação pela 4º fase da Operação Lama Asfáltica, nesta quinta-feira (11).

O servidor não quis se identificar e disse apenas que somente o procurador-geral do Estado, Adalberto Neves Miranda, prestará esclarecimentos. Os funcionários da secretaria estão impedidos de ingressar no prédio, embora quatro funcionários foram autorizados a entrar, entre eles o secretário adjunto da Sefaz, Guaraci Luiz Fontana.

A todo o momento, mais policiais federais chegam ao local para intensificar a procura de documentos, que também ocorre na SED (Secretaria Estadual de Educação), desde às 6h desta quinta.

Os trabalhos fazem parte da quarta fase da Operação Lama Asfáltica em Mato Grosso do Sul. Dessa vez, serão cumpridos 44 mandados entre prisão preventiva, condução coercitiva e busca e apreensão em quatro cidades de MS e outros dois estados.

O ex-governador André Puccinelli (PMDB) foi levado para a sede da Polícia Federal em condução coercitiva na manhã desta quinta-feira (11). Policiais estiveram em sua casa antes das 6h em cumprimento a mandado expedido dentro da Operação Lama Asfáltica.

São investigadas fraudes em licitações, superfaturamentos em obras públicas e pagamento de propinas que desviaram valor estimado em R$ 150 milhões.

A Operação Lama Asfáltica foi deflagrada no dia 9 de julho de 2015, neste período, pelo menos 15 pessoas foram para cadeia. Entretanto, todas estão soltas aguardando o resultado das investigações.

A quarta fase foi intitulada Máquinas de Lama, pois de acordo com a Polícia Federal, os valores de propina pagos eram justificado com o aluguel de máquinas, geralmente com o único propósito de justificar os pagamentos.

Reforço da Polícia Federal chega ao prédio. (Foto: Marina Pacheco)Reforço da Polícia Federal chega ao prédio. (Foto: Marina Pacheco)



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions