A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 24 de Setembro de 2017

14/08/2017 10:33

Reforma da Previdência pode ter ajustes para ser aprovada, diz Marun

Intenção da base aliada é votar a proposta ainda em setembro, na Câmara dos Deputados

Leonardo Rocha
Comissão da Reforma da Previdência aprovou projeto, mas ele ainda precisa passar pelo plenário da Câmara (Foto:  Luis Macedo/Câmara dos Deputados)Comissão da Reforma da Previdência aprovou projeto, mas ele ainda precisa passar pelo plenário da Câmara (Foto: Luis Macedo/Câmara dos Deputados)

O deputado Carlos Marun (PMDB), que foi presidente da comissão especial da Reforma da Previdência, admite que o projeto pode ter novos ajustes, para ser votada ainda em setembro, na Câmara Federal. A base aliada reconhece que será necessário ceder em outros pontos, para garantir os votos suficientes para aprovação.

Marun explicou que a estratégia da base do presidente Michel Temer (PMDB), é colocar o assunto pauta, logo após a votação da reforma política, que por ter um prazo de ser homologada, é a prioridade no momento. "Depois que esta matéria seguir ao Senado, então voltamos a carga sobre a previdência", avisou.

Ele reconhece que a base ainda não tem os votos suficientes para aprovação, por isso admite que o projeto aprovado na Comissão Especial, pode sofrer novos ajustes, quando for ao plenário. "Não tínhamos antes (votos) e continuamos não tendo, porém nada que não se resolva com diálogo e eventuais mudanças que não comprometam o ajuste fiscal e economia esperada".

Para ser aprovada, a reforma da previdência precisa de dois terços dos votos, ou seja, o apoio de 308 dos 513 deputados, já que se trata de uma mudança na Constituição Federal. Se for aprovada, ainda segue para o Senado Federal, que vai avaliar e pode também apresentar mudanças.

Projeto - A proposta já sofreu alterações no texto original enviado por Michel Temer (PMDB). A idade mínima para as mulheres ficou em 62 anos, porém ao homens continuou 65. O tempo de contribuição diminuiu de 49 (anos), para 40, além disto foram apresentadas regras especiais, que privilegiam os professores, policiais e trabalhadores rurais.

No caso dos policiais federais e legislativo eles terão idade mínima (aposentadoria) de 55 anos, tendo tempo de contribuição de 30 (anos) para homens, com pelo menos 20 de atividade policial, e 25 para as mulheres, com 15 (anos) exercendo a profissão. Estas regras podem ser de parâmetro aos policiais estaduais (militar e civil).

Aos professores a idade mínima será de 60 anos, com 25 de contribuição, enquanto que aos trabalhadores rurais a contribuição será de 20 (anos), com idade mínima de 60 para os homens. Já as mulheres 57 (anos), contribuindo no mínimo por 15 anos.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions