A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 20 de Setembro de 2018

25/04/2017 19:31

Reinaldo sai otimista de reunião com presidente Michel Temer e ministros

Governador visitou Brasília e tratou sobre a recuperação econômica e sobre o a rota bioceânica que ligará o Brasil ao Oceano Pacífico

Nyelder Rodrigues
Reinaldo conversa com Temer, ao lado de Meirelles, nesta terça em Brasília (Foto: Divulgação)Reinaldo conversa com Temer, ao lado de Meirelles, nesta terça em Brasília (Foto: Divulgação)

O governador Reinaldo Azambuja (PSDB) foi um dos 13 governadores que participou nesta terça-feira (25) de um encontro com o presidente Michel Temer (PDMB), ministros e diversos parlamentares, em Brasília (DF), para tratar em interesses em comum dos estados. Ao fim da reunião, o Reinaldo afirmou ter ficado mais otimista com o cenário econômico.

Um dos participantes foi o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que repassou dados e informações que renovou o ânimos dos chefes de Executivo presentes, pois indicou uma recuperação econômica do país em fase já de concretização.

"Conseguimos fazer o dever de casa, manter o equilíbrio das contas, cumprir as obrigações fiscais, financeiras e orçamentárias, além do reforçar o programa de incentivos fiscais, que resultaram em um ambiente de confiança aos investidores", frisa o governador sul-mato-grossense.

Azambuja ainda destaca o papel do governo e setor produtivo para alavancar esse crescimento, tido por Meirelles como concretizado. O PIB (Produto Interno Bruto) deve ter crescimento de 2,7% neste ano, segundo o ministro, graças a volta da confiança de consumidores e empresários diante dos ajustes colocados em prática.

"Não há dúvida que esses fatores estão contribuindo para aumentar o número de postos de trabalho e colocar MS como o 3º estado em geração de emprego no país", comenta Reinaldo, que ouviu ainda sobre a necessidade das reformas. "A mudança nas regras de aposentadoria será fundamental para estabilizar as despesas públicas", disse Meirelles.

Entre as medidas previstas na proposta está a adoção de uma idade mínima de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres acessarem ao benefício da aposentadoria. O tempo de contribuição, de acordo com novo texto da proposta, continua de 25 anos.

"Nossa meta é interromper a trajetória de crescimento elevado do déficit da Previdência, para investir mais nas pessoas e promover o desenvolvimento do Brasil", afirmou Reinaldo, ao abordar o problema no Estado.

Além do almoço com Temer, Meirelles e os presidentes do Senado e Câmara, respectivamente, o deputado federal Rodrigo Maia (DEM-RJ) e o senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), o governador visitou o ministro-chefe da Casa Civil, Elizeu Padilha, para tratar da liberação de emendas pendentes e de projetos para Mato Grosso do Sul.

Ainda nesta tarde, Azambuja foi condecorado com a medalha da Ordem de Rio Branco, no grau Grã-Cruz, pelo ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes. A medalha é a mais alta condecoração da diplomacia brasileira.

 

Reinaldo recebeu homenagem do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes (Foto: Divulgação)Reinaldo recebeu homenagem do ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes (Foto: Divulgação)

Corredor Biocêanico - Outro assunto que foi pauta de Reinaldo em Brasília nesta terça-feira na visita à Aloysio Nunes, colega de partido do governador, foi a integração de rotas para, enfim, colocar em prática o corredor bioceânico que ligará logisticamente os oceanos Atlântico e Pacífico via ferroviária e rodoviária.

A rota, que passa por Mato Grosso do Sul, encurta a distância entre o Brasil e mercados internacionais, principal os asiáticos, e precisa de apenas 200 km de ferrovia na Bolívia para concretizar a ligação entre Santos (SP) e Ilo (Peru). Porém, há ainda a rota que passa pelo Paraguai e vai até o Chile, tido como a melhor delas.

"Sobre o corredor bioceânico rodoviário que liga Brasil, Paraguai, Argentina e Chile, o primeiro passo para a efetivação é a construção da ponte sobre o rio Paraguai em Porto Murtinho. Tivemos um grande avanço na questão da ponte", aponta Reinaldo, acrescentando ainda que o acordo entre Brasil e Paraguai já passou pelo crivo do Senado e segue para a Câmara.

A ponte possibilita que seja aberto no Paraguai uma rodovia ligando a fronteira até Mariscal Estigarribia, já próximo a fronteira com a Argentina. O trecho tem 360 km. A obra da ponte, que já possui projeto no DNIT e aguarda aprovação do Congresso para execução, está avaliada em US$ 30 milhões.

"Com a construção da ponte, a partir de Porto Murtinho o corredor cruzará território paraguaio e argentino até alcançar os portos de Antofagasta, Mejillones e Iquique, no Chile. O objetivo é facilitar a penetração dos produtos nos mercados asiáticos, importantes em especial a agropecuária sul-mato-grossense", explica Reinaldo, que complementa.

"Além de escoar a produção, a rota permitirá a importação direta de insumos a preços muito abaixo do mínimo de mercado". O trecho possui distância rodoviária um pouco maior, mas economiza 11 mil quilômetros através do oceano Pacífico, sem ter que atravessar pelo canal do Panamá, na América Central.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions