A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

08/08/2013 16:53

Secretário de Bernal paga uns antes e atrasa outros; explicação não convence

Zemil Rocha e Lidiane Kobe
Secretário Wanderlei Ben Hur não conseguiu convencer CPI do Calote (Foto: Marcos Ermínio)Secretário Wanderlei Ben Hur não conseguiu convencer CPI do Calote (Foto: Marcos Ermínio)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Calote, da Câmara de Campo Grande, pressionou e o secretário de Planejamento, Finanças e Controle, Wanderlei Ben Hur da Silva, não conseguiu explicar, de forma convincente, os motivos que levaram a administração do prefeito Alcides Bernal (PP) a pagar alguns fornecedores rapidamente, até mesmo no dia da liquidação da despesa, e demorar para promover quitação com outros, embora em condições jurídicas iguais.

O presidente da CPI, Paulo Siufi (PMDB), quis saber nesta tarde, por exemplo, qual o critério que levou a Prefeitura de Campo Grande a pagar R$ 770 mil para a empresa Remat Marketing e Propaganda Ltda em “sete dias” enquanto deixou passar “79 dias” para quitar um débito de apenas R$ 299,00 com o jornal Correio do Estado.

Wanderlei Ben Hur justificou a diferenciação alegando que algumas empresas não apresentam as certidões negativas de débito tributário, exigidas por lei para se efetuar o pagamento, o que impediria a quitação. “Mas será que uma empresa de relevância no mercado não teria certidão negativa?”, questionou Siufi. Ben Hur reafirmou que algumas empresas demoram a cumprir as exigências legais e são acabam recebendo seus pagamentos depois.

Já o relator da CPI, vereador Elizeu Dionízio (PSL), afirmou que está “muito preocupado por que a prefeitura levou 84 dias para pagar 23 centavos à empresa Guatós Comércio e Serviços Ltda ou 56 dias para pagar 15 reais ao Banco Safra”.

Desta vez a reação de Ben Hur foi mais fundamentada. “O que me preocupa é a relevância da sua preocupação. São pequenos montantes que não se tratam de prestação de serviços, mas de sobras de convênios e que podem por isso atrasar”, argumentou. Além disso, segundo o secretário, o município pode pagar seus débitos com fornecedores em até 90 dias, segundo previsão do artigo 73, parágrafo 3º, da lei 8666.

 



Não conseguiu convencer?

Pra mim ele foi bem claro.
 
Guaraci Mendes em 08/08/2013 18:34:14
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions