A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

30/08/2016 23:03

Simone cita busca pela verdade e fraude fiscal e eleitoral de Dilma

Nyelder Rodrigues
Simone Tebet frisa também que os erros de Dilma serão pagos por futuras gerações (Foto: Jonas Pereira/Agência Senado)Simone Tebet frisa também que os erros de Dilma serão pagos por futuras gerações (Foto: Jonas Pereira/Agência Senado)

A senadora sul-mato-grossense Simone Tebet (PMDB) destacou em seu discurso no plenário do Senado, que julga crimes de responsabilidade fiscal cometidos pela presidente afastada Dilma Rousseff (PT), que os parlamentares estão buscando a "verdade real" e apontou a petista como autora de crime fiscal e eleitoral.

Logo de início, a Simone abriu a fala dizendo que recai sobre o Senado a difícil missão de escrever a última página sobre um "triste e necessário capítulo da história", mas con legitimidade garantida, inclusive, pela presença do presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), Ricardo Lewandowski.

"Estamos no papel de juízes em um processo político, e não penal. Por isso, temos o dever de decidir em nome da sociedade. Não estamos julgando a pessoa, estamos julgando a autoridade. Não estamos punindo Dilma, estamos defendendo a sociedade", discursou a senadora, natural de Três Lagoas.

Simone indicou que Dilma cometeu omissão dolosa nas crimes de responsabilidade a qual está sendo julgada no Senado, e que o julgamento deve ser feito levando em consideração o "conjunto da obra", ou seja, as supostas irregularidades cometidas e as consequências das mesmas para a população.

"Muito mais do que a busca da verdade nos autos, é a busca pela verdade real. Das 3 mil páginas que tivemos que ler, a verdade ali é que aconteceram decretos e pedaladas que são crimes de responsabilidade. Temos que buscar histórias por trás das versões, dentro do contexto e da realidade e as consequências disso para os brasileiros", defende Simone.

Pedaladas contínuas - A senadora destacou que Dilma cometeu pedaladas desde 2013, apesar de apenas problemas no ano de 2015 estarem em análise. "Crime continuado de irregularidade fiscal e trata-se também de uma fraude eleitoral. Em anos anteriores maquiou-se contas públicas, inflou-se meta fiscal", frisa.

Simone comentou ainda sobre as milionárias manobras fiscais do governo de Dilma Rousseff que, mesmo assim, não deram resultados. "Em 2013 essas manobras foram insuficientes e então foi preciso pedalar. E ela pedalou. Editou decretos e no mesmo dia anunciou um déficit bilionário", dispara.

A parlamentar sul-mato-grossense também destacou outra vez que as ações de Dilma frente o Governo Federal levaram o país a maior crise econômica, política e ética de sua história, com escândalos como o Petrolão, dito por ela como um dos maiores do mundo. "Administração nefasta que futuras gerações é que pagarão a conta".



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions