ACOMPANHE-NOS    
JUNHO, QUINTA  17    CAMPO GRANDE 18º

Política

Sub judice, quatro cidades de MS continuam sem prefeitos por tempo indeterminado

Pandemia prejudicou a eleição em Sidrolândia, já questões de Bandeirantes, Angélica e Paranhos seguem no TSE

Por Gabriela Couto | 29/03/2021 16:43
Novas eleições municipais continuam sem data para serem realizadas em cidades que candidatos mais votados estão sub judice (Foto Divulgação)
Novas eleições municipais continuam sem data para serem realizadas em cidades que candidatos mais votados estão sub judice (Foto Divulgação)

Quatro cidades de Mato Grosso do Sul continuam sem prefeito desde o começo do ano. Nos 4 casos, quem administra hoje são os presidentes das câmaras municipais. Com o resultado das eleições no ano passado sub judice, a população de Angélica, Paranhos e Bandeirantes aguardam o julgamento do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) para marcar nova eleição.

Já Sidrolândia teve recurso julgado, determinadas novas eleições, que foram agendadas, mas suspensa em razão do agravamento da pandemia. O próprio candidato a prefeito que está na disputa, Enelvo Felini (PSDB) contraiu a doença e está se tratando em São Paulo.

De acordo com os dados da Coordenadoria de Registros e Informações Processuais do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso do Sul) a situação de Bandeirantes foi atualizada no último dia 25. O ministro Tarcisio Vieira de Carvalho Neto pediu vista ao processo para análise.

Até o momento o ministro Alexandre de Moraes, indeferiu o pedido de intervenção de Marcelo Abdo (MDB) e negou provimento ao agravo regimental de Álvaro Urt (DEM) e da Coligação “Avançar é Preciso, Retroceder Jamais”, julgando prejudicada a liminar. Os ministros Edson Fachin e Luis Felipe Salomão acompanharam o voto de Moraes.

Em Paranhos o processo teve novo andamento no dia 26 de março. Por unanimidade o Tribunal negou recurso especial eleitoral e indeferiu a candidatura de Heliomar Klabunde   (MDB) para prefeito. Votaram com o relator os ministros Tarcisio Vieira de Carvalho Neto, Sérgio Banhos, Edson Fachin, Alexandre de Moraes, Luis Felipe Salomão e Luís Roberto Barroso (Presidente).

Já em Angélica a situação permanece inalterada. O caso do prefeito eleito sub judice Arlan Cassuci (PDT) encontra-se parado até novo pronunciamento do STF. Em todas as quatro cidades quem está no comando do Executivo nesses três meses de 2021 são os presidentes das Câmaras Municipais.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário