A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

07/06/2013 16:19

Testemunhas depõem em processo que pede cassação de 4 vereadores

Jéssica Benitez

Terminou hoje a sequência de oitivas feitas com eleitores envolvidos em possível esquema de compra de votos por parte dos vereadores eleitos Alceu Bueno (PSL), Paulo Pedra (PDT), Delei Pinheiro (PSD) e a vereadora licenciada e atual secretária Municipal de Assistência Social, Thaís Helena (PT).

Os parlamentares são acusados de captação ilícita de sufrágio (compra voto) por meio de distribuição de combustível durante período eleitoral do ano passado. A denúncia partiu do Ministério Público através do promotor de Justiça Rogério Araújo e pode resultar na cassação dos mandatos.

“Hoje se encerrou a coleta de provas. Abriremos prazo para alegações finais dos advogados e Ministério Público”, explicou a juíza da 36ª Zona Eleitoral, Elisabeth Rosa Baisch. Agora tanto defesa quanto acusação têm até o dia 24 de junho para apresentar suas respectivas conclusões.

A magistrada acredita que até a primeira semana de julho a sentença será proferida, mas antecipa que antes da data não pode detalhar o que de fato está ocorrendo. “Só posso dizer o que está acontecendo nos autos do processo. A partir da publicação da sentença todos terão acesso ao processo”, disse.

Ao todo foram 18 testemunhas entre defesa e acusação, porém, somente oito precisaram depor. Duas delas falaram com o Campo Grande News, diante da condição de não se identificar. Elas confirmam que receberam combustível, mas defendem que isso só ocorria quando havia carreata e, portanto, as testemunhas não consideram compra de voto.

“Recebemos gasolina da Thaís Helena e do Paulo Pedra, mas eles só nos deram quando tínhamos que acompanhar carreata. Eles não podiam tirar do próprio bolso né? Votamos neles há muitos anos e acompanhamos o trabalho de cada um, eles não precisam comprar voto para ganhar eleição”, explicaram.

Denúncia – A suspeita de compra de votos foi desencadeada após um posto de combustível de Campo Grande ser fiscalizado. No local foi constatado que vários condutores estavam pagando pela gasolina com espécie de vale-combustível, supostamente fornecidos pelos então candidatos.

Na ocasião, além dos próprios tickets, foram apreendidas listas com os nomes dos eleitores, números de telefone e placas de carro. Os nomes dos depoentes do processo foram retirados justamente do documento recolhido. Após anúncio da sentença os parlamentares podem recorrer da decisão.

Delei nega ter comprado votos e diz não saber direito o que está acontecendo
Único vereador presente na última oitiva feita com eleitores envolvidos em possível esquema de compra de votos hoje à tarde, Delei Pinheiro (PSD), ac...
Governo do Estado investe R$ 9,2 milhões em infraestrutura em Caracol
Caracol vai receber mais de R$ 2,8 milhões em obras a serem executadas pelo Governo do Estado em parceria com a prefeitura e deputados federais e est...
Assembleia vota Orçamento de R$ 14,4 bilhões de 2018 na terça-feira
O Orçamento de R$ 14,4 bilhões do Governo de Mato Grosso do Sul para 2018 passará pela votação em segunda discussão na terça-feira (19) na Assembleia...


Só estes ai é que compraram votos?? Nessas horas é que me pergunto pra que termos uma justiça eleitoral? Com toda uma estrutura caríssima aos cofres públicos pra quê? Para fazer esse circo, esse teatro?
 
Gilmar Humenkol em 08/06/2013 10:33:36
Mas que hipocrisia, não é mesmo? Concordo com os comentários anteriores: ISTO É UMA PRÁTICA IMORAL, utilizada pelos políticos corruptos!!! Como diz aquela música célebre: "Se gritar pega ladrão, não fica um, meu irmão!!!" kkkkkkkkk
 
Silvana Rezende em 08/06/2013 09:37:52
A compra de votos sempre existiu na história deste país. O próprio Lula confessou num imponente jardim de Paris que sempre houve caixa 2 nas campanhas políticas. E afinal, caixa 2 é pra que? A compra de muitas vezes também é paga com a doação de chinelos, óculos, dentaduras, cestas básicas etc. Portanto, a primeira coisa necessária, seria o aculturamento e conscientização do eleitor p/ não aceitar tais coisas, mas como resolver isto se o eleitor no Brasil pode inclusive ser analfabeto de pai e mãe. Numa sociedade com tantas diferenças culturais, sociais e econômicas como evitar a compra de votos? Acho que estamos malhando em ferro frio.
 
ademir gomes em 08/06/2013 08:16:27
PORQUE O MINISTERIO PÚBLICO NÃO INVESTIGA AS COMPRAS DE VOTO QUE O BERNAL FEZ TAMBÉM COM COMPRA DE GASOLINA ?????? EU SEI QUEM VENDIA OS LARANJAS DELE OU SEJAS OS CABOS ELEITORAIS DO BERNAL ..
 
ELY MONTEIRO em 08/06/2013 07:04:44
Eu Acredito que não Foi só esses Não...Faz Uma CPI Q não vai ficar um ...
Sempre Foi assim. Não é de HJ.
 
Fábio Souza em 08/06/2013 00:34:54
Puts, o que mais compraram não foram citados, é justiça que realmente não e pra todos.!!!!
 
weverton nogueira em 07/06/2013 21:37:22
se tivesse lei mesmo pra os politicos..Nao ia nem ter cadeia pra tantos...

 
noemia de moura araujo em 07/06/2013 19:12:06
Eu teria vergonha de postar esse tipo de matéria ... TODOS POLÍTICOS nessa cidade compram votos ;)
 
Mayara Dantas em 07/06/2013 18:29:14
KKKKKKKK.. Todos os políticos fazem isso, e com certeza só estão investigando esses para colocar uma ex política desesperada que ficou de fora...
 
Ana Paula Carde em 07/06/2013 18:22:18
Concordo plenamente Paulo.
 
sonia de fatima em 07/06/2013 17:59:23
Uai...mas é proibido comprar voto? A impressão que a gente tem em época de eleições é que todo mundo compra votos. Bolsa família não é compra de voto? Uso da máquina não é compra de voto?
 
Paulo Márcio em 07/06/2013 17:06:45
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions