A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

14/02/2012 13:09

Vereadores atrasam de novo e fazem sessão relâmpago de menos de 1h

Fernando da Mata e Wendell Reis

Segundo o regimento interno da Casa, existe tolerância de 15 minutos para o início das sessões, ou seja, o horário limite é 9h15

Com início marcado para as 9 horas, a sessão desta terça-feira (14) da Câmara de Vereadores de Campo Grande começou com quase uma hora de atraso, o que já virou rotina este ano. Havia apenas quatro parlamentares em plenário de um total de 21.

A falta de quórum impossibilitou a aprovação da ata da sessão anterior. Às 9h35, estavam no plenário Carlos Augusto Borges (PSB), Magali Picarelli (PMDB), João Rocha (PSDB) e Athayde Nery (PPS).

Segundo o regimento interno da Casa, existe tolerância de 15 minutos para o início das sessões, ou seja, o horário limite é 9h15.

Magali Picarelli afirmou que sempre procura cumprir os horários, mas que há dias em que tem que se ausentar para outros compromissos. Porém, a vereadora garante que sempre volta para as votações.

Athayde Nery disse que sempre é pontual. “Tem que ser bom vereador em todos os aspectos. Mas cada um tem sua postura”, destacou o vereador, relatando também que hoje mesmo teve reunião, concedeu entrevista e chegou às 9 horas.

Um dos atrasadinhos, Clemêncio Ribeiro (PMDB) sugeriu que um cartão de ponto para regular entrada e saída seja instalado, além de um possível desconto no salário dos parlamentares. “O povo trabalha, todo mundo trabalha. Então por que nós vamos folgar?”, questionou.

O presidente da Casa, Paulo Siufi (PMDB), e Vanderlei Cabeludo (PMDB), foram os únicos vereadores que justificaram ausência. Cabeludo alegou problemas de saúde na família e Siufi informou que teve que atender pacientes.

Sessão relâmpago - Na Câmara, terça-feira é o ‘primeiro’ dia de trabalho da semana. Mesmo assim, a sessão de hoje durou menos de uma hora, apesar do atraso no início.

Os dois projetos que estavam na pauta não foram votados por causa da ausência dos autores. Um deles, de autoria do presidente da Câmara, visa instituir a política municipal de prevenção às doenças ocupacionais do educador da rede pública de ensino. Mesmo com a presença de Loester Nunes (PMDB) e Jamal Salém (PR), coautores, a votação não foi feita.

O outro projeto não votado, de Vanderlei Cabeludo, obriga os hospitais a terem aparelhos para pessoas obesas.

Desculpas - O líder do prefeito na Câmara, Flávio César (PT do B), reafirmou que o trabalho não se restringe ao gabinete e que 90% dos vereadores despacham e tem outras atribuições durante as sessões.

Flávio César disse ainda que a sessão não deixou a desejar, apesar da rapidez, e que não havia tema ou projeto de relevância para ser discutido e votado. “Vale lembrar que tem situações que os vereadores ficam além do horário. Por exemplo, no ano passado, ficamos até às 17h em uma sessão. Ou seja, uma coisa compensa a outra”, enfatizou.

Sobre a ausência dos vereadores em plenário, o líder da oposição, Marcos Alex (PT), acredita que tem algumas coisas que precisam ser resolvidas nos bastidores.

O vice-presidente da Câmara, Lídio Lopes (PP), garantiu também que a sessão cumpriu com a programação e justificou o caráter relâmpago com o fato dos vereadores inscritos para a palavra livre não terem se pronunciado.

Cada vereador inscrito tem direito a dez minutos na palavra livre e, durante o tempo, pode ceder espaço para outro parlamentar. Isso, segundo Lopes, estende a duração das sessões.

Reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, diz Meirelles
A reforma da Previdência deve ser votada na semana que vem, de acordo com o ministro da Fazenda Henrique Meirelles. A declaração foi dada na noite de...
Quanto mais reforma demorar, mais dura será correção, diz ministro
Caso o governo não consiga aprovar a reforma da Previdência ainda este ano, conseguirá em 2018, disse hoje (11) o ministro do Planejamento, Dyogo Oli...


Engraçado, no programa de tv nenhum deles falta...
 
Luis Azevedo em 14/02/2012 05:03:22
É um verdadeiro assalto ao bolso do contribuinte essa falta de compromisso dos vereadores faltosos, e as justificativas são uma afronta ao trabalhador , tais como: Outros afazeres, falta de projetos e temas importantes para serem discutidos, será que não tem nenhum tema para ser abordado ..??? tudo esta bem na saúde, na segurança, na educação, nos bairros ...em que cidades estão vivendo...???
 
Valfrido Leite Rolim em 14/02/2012 04:39:45
o que adianta voçes ficarem aqui reclamando si foi voçes mesmo que colocaram os nobre vereadores ai onde estão
 
henrique ortiz em 14/02/2012 04:35:26
E ainda querem aumentar a quantidade de vereadores nas cidades... complicado...
 
Samir Cunha em 14/02/2012 02:59:51
É um absurdo mesmo, eu sou a favor de político receber apenas um salário mínimo, nós que trabalhadores é que realmente impulsionamos esse país somos mal remunerados, trabalhamos muito, e cumprimos com todos os nossos compromissos, precisamos de um movimento amplo para conquistar alguma coisa, ou estaremos eternamente reféns desses nossos representantes que defendem apenas seus próprios interesses
 
Barbara Ferreira Brites em 14/02/2012 02:55:14
É engraçado para não se dizer tragico, o comentario dos vereadores sobre os atrasos ou faltas, tem vereador que diz que tinha outras coisas para fazer????? Como assim, eu vou faltar ou chegar atrasado no meu emprego e dizer para meu patrão que foi porque eu tinha outras coisas pra fazer? Todo mundo tem coisas particulares para fazer, mas ninguem falta ou atrasa sem um atestado.
 
maximiliano nahas em 14/02/2012 02:35:10
Todo mundo trabalha, tem horários para cumprir e ainda a grande maioria ganha pouco mais de um salário mínimo e os vereadores são totalmente o contrário, ganham muito, trabalham muito poco e a sua função é desnecessário para a população, pois eles não tem autonomia para quase nada, no máximo podem indicar algo para ser feito, sou contra esse cargo e sim deixar só os presidentes de cada bairro.
 
Murillo Câmara em 14/02/2012 02:08:25
e ainda querem aumentar o munero de veredores para a camara municipal de 21 para 29 mas despesas para o consumidor pagar pode esperar vem aumento de impostos para bancar esses senhores que vai quando quer trabalhar e por uma hora de expediente,minguem merece.
 
nilton sabino em 14/02/2012 02:03:44
esta vendo como o povo desta cidade esta sem noção sequer um comentario se voce trabalhador falta existe um complexo de leis para ter que justificar/abonar sua falta ou atraso porem essa turma ai o outrofalar em cartõa de ponto é lorota a maioria deles serão reeleitos.
 
DOMINGOS SAVIO CORREA PISTORIO em 14/02/2012 01:24:44
Uma vergonha !!! o salário enorme não está atrasado, de 21 apenas 4, que moral que esta casa tem. Justificativa de doença é válida mas porque estava em outro trabalho ...
 
JOSE ANTONIO em 14/02/2012 01:17:35
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions