A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

04/08/2014 17:47

Divergência entre preços causa revolta de clientes em hipermercado

Stephanie Romcy
Professora reclamou e conseguiu receber o valor da diferença. (Foto: Repórter News)Professora reclamou e conseguiu receber o valor da diferença. (Foto: Repórter News)

Não é de hoje que os mercados cometem o erro de colocar um preço de tal mercadoria na prateleira e na hora de passar no caixa é outro. Ás vezes o cliente até tem a sorte de sair mais barato, mas não foi o caso da professora Elizângela, que preferiu se identificar apenas com o primeiro nome.

Durante a manhã desta segunda-feira (04), ela fez compras no hipermercado Extra, localizado na Rua Maracaju, 1427 - Centro e teve uma surpresa ao passar no caixa. Dois desodorantes que na gôndola estavam com o preço de R$ 11, 39, foi cobrado por R$ 12, 99 cada, que no total saiu R$ 3, 20 a mais.

"É um desrespeito com os clientes, quem não presta atenção acaba pagando mais caro. O mesmo problema aconteceu com uma mulher que estava na fila, mas o produto era um creme dental", reclama. A professora informou que não conversou com o gerente, mas devolveram o dinheiro que foi cobrado a mais e tiraram xerox da nota fiscal.

O assessor jurídico do Procon, Gabriel Abreu, informou que quando existe esta divergência entre preços, o correto é comunicar o caixa ou algum fiscal do estabelecimento e pedir para ser cobrado o menor valor. Caso contrário, o cliente pode solicitar a fiscalização do Procon ao local por meio do telefone 151. "É interessante o cliente tirar foto do valor que está na gôndola e também guardar a nota fiscal para fazer a comprovação".

O Campo Grande News entrou em contato com a assessoria de imprensa do Extra, que enviou nota na qual a rede afirma que faz "rígido controle e fiscalização dos preços para que estejam alinhados aos valores registrados no caixa, praticado por meio de conferência diária e auditorias periódicas."

"A empresa esclarece que segue irrestritamente o que determina o Código de Defesa do Consumidor, de modo que, em eventual divergência de preços entre a gôndola e o caixa, é cobrado o menor valor, evitando qualquer tipo de prejuízo ao consumidor. Sobre o produto citado pela cliente, a loja informa ainda que já realizou as atualizações necessárias em seu sistema para que o fato não volte mais a acontecer", prossegue o texto.



Deveria existir uma multa para a empresa isso sim. Porque eles até alteram para pagar o menor, mas a pessoa tem que ficar cuidando produto por produto para saber se o preço confere, É um absurdo.. O extra é campeão. Uma vez a diferença checou a 11,00 em uma compra, E se eu não estivesse prestando a atenção. Imagina isso multiplicado pelo numero de clientes desatentos.
 
Ivana Silva em 06/08/2014 11:21:17
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions