A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

03/11/2015 16:52

Começa hoje a 2º etapa de vacinação contra a aftosa no Pantanal e Planalto

Renata Volpe Haddad
Imunização deve ser feita em 7,8 milhões de bovinos e bubalinos do Estado. (Foto: Gerson Walber)Imunização deve ser feita em 7,8 milhões de bovinos e bubalinos do Estado. (Foto: Gerson Walber)

Inicia nesta terça-feira (3) a vacinação contra a febre aftosa no Planalto e Pantanal de Mato Grosso do Sul, que deve imunizar mais de 7,8 milhões de bovinos e bubalinos, segundo a Iagro (Agência Estadual de Defesa Sanitária e Vegetal).

Os produtores da região do Pantanal que optaram pela vacinação em novembro, devem imunizar os animais de mamando a caducando. Já na região do Planalto, o rebanho de bovinos e bubalinos devem ser vacinados de 0 a 24 meses.

A Famasul (Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul), junto com a Embrapa Gado de Corte, realizaram nesta terça-feira um ato simbólico contra a febre aftosa.

De acordo com o presidente da Famasul, Maurício Saito, em 2014, o Estado atingiu 97% de todo o rebanho vacinado. "A expectativa para este ano é a melhor possível e queremos ultrapassar essa marca que foi superior a 97% e atingir o máximo de vacinação dentro de Mato Grosso do Sul", alega.

Ainda segundo Saito, a questão sanitária é extremamente importante para que o Estado possa continuar contribuindo no cenário nacional. "Isso para que possamos continuar com a disponibilização cada vez maior de produtividade e maior produção de carne em Mato Grosso do Sul para todo o país e para o mundo", ressalta.

Para o chefe-geral da Embrapa Gado de Corte, Cleber Oliveira, a importância da vacinação contra a febre aftosa é indiscutível. "Em 2005 o Estado viveu uma situação que deixou resquícios onde um pequeno surto de aftosa afetou o fluxo na região que impedia até mesmo o trânsito dos produtores de melancias", conta.

Conforme Oliveira, o país evoluiu muito em relação a vacinação, sendo que Santa Catarina é livre de aftosa sem vacinação e outros Estados são livres de aftosa com vacinação. "Que é o caso de Mato Grosso do Sul. A luta que está sendo feita na fronteira com o Paraguai e com a Bolívia é um exemplo, já que é efetivo e eficaz", comenta.

Segundo o secretário da Sepaf (Secretaria de Estado de Produção e Agricultura Familiar), Fernando Lamas, para que Mato Grosso do Sul se torne livre da aftosa sem vacinação, é preciso realizar um trabalho árduo. "O Estado tem algumas características que precisamos considerar, primeiro que é a extensa fronteira com o Paraguai, precisamos ter certeza que o Paraguai também imunize o rebanho", explica.

Lamas afirma que é uma tendência mundial a vacinação contra a febre aftosa. "Vamos ter que aprimorar o processo de defesa e para isso nós estamos em entendimento com o Exército para que eles possam nos auxiliar com o sistema Sisfron, pois não podemos ter a circulação de gado entre nações", alega.

Os produtores da região do Pantanal que optaram pela vacinação em novembro, devem imunizar os animais de mamando a caducando. Já na região do Planalto, o rebanho de bovinos e bubalinos devem ser vacinados de 0 a 24 meses. (Foto: Gerson Walber)Os produtores da região do Pantanal que optaram pela vacinação em novembro, devem imunizar os animais de mamando a caducando. Já na região do Planalto, o rebanho de bovinos e bubalinos devem ser vacinados de 0 a 24 meses. (Foto: Gerson Walber)

Regiões – O Pantanal conta com 16% do rebanho estadual que é composto pelas áreas inundáveis de Corumbá, Ladário e em partes dos municípios de Coxim, Miranda, Aquidauana, Porto Murtinho e Rio Verde de Mato Grosso. O efetivo bovino alcança 3,2 milhões de cabeças.

Já a região do Planalto conta com 80% dos bovinos e bubalinos do Estado que é formado pelos demais municípios fora das regiões citadas, onde não há inundação nos períodos chuvosos. São aproximadamente 14,9 milhões de animais no Planalto.

A região de Fronteira conta com 4% do rebanho estadual e atinge aproximadamente 670 mil cabeças de bovinos. Sendo o território vizinho da Bolívia e do Paraguai, a região abrange os municípios de Antônio João, Mundo Novo e Japorã, na sua totalidade.

Já em partes, os municípios de Aral Moreira, Bela Vista, Caracol, Coronel Sapucaia, Corumbá, Ladário, Paranhos, Ponta Porã, Porto Murtinho e Sete Quedas.

Calendário – A 2º etapa de vacinação na Fronteira começou em 13 de outubro e vai até 27 de novembro, o registro precisa ser feito até 14 de dezembro.

No Planalto, a vacinação começa hoje (3) e vai até 07 de dezembro, com registro até 18 de dezembro. No Pantanal, o prazo que também inicia hoje, dura até 20 de dezembro, com registro até 30 de dezembro.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions