A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 23 de Fevereiro de 2019

20/12/2018 16:22

Em MS, 74,8% têm acesso à internet, mas microcomputador perde a força

Levantamento realizado pelo IBGE foi divulgado nesta quinta-feira

Gabriel Neris
Arte: Ricardo GaelArte: Ricardo Gael

O número de domicílios particulares de Mato Grosso do Sul com microcomputador no 4º trimestre do ano passado atingiu 43,4%, segundo a Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) divulgada nesta quinta-feira (20).

Foram pesquisadas 911 casas no levantamento do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Destas, 56,6% não tinham microcomputadores, o que não significa que não usam a internet, acessada na boa parte das vezes pelo celular.

Em comparação com o mesmo período de 2016, há um leve aumento de casas informatizadas. Naquele ano, 44% dos 901 domicílios pesquisados tinham microcomputadores, enquanto 56% não contavam com o equipamento.

O levantamento também aponta que 74,8% dos pesquisados, acima de 10 anos de idade, utilizaram internet no último trimestre, sendo 85,8% por banda larga fixa.

A Pnad também quis saber a finalidade do acesso à internet. Nos últimos três meses do ano passado 58,8% precisaram para ler ou encaminhar e-mail. Pelo menos 95,5% se utilizaram da rede de informática para enviar ou receber mensagens de texto, voz ou imagens por aplicativos. Pelo menos 79% precisaram para conversas por chamadas de voz ou vídeo. Entre os pesquisados, 80,5% buscaram assistir vídeo, programas, séries e filmes.

Já entre os que não tinham acesso à internet, 8,9% disseram que o serviço disponível era caro demais. Outros 4,1% responderam que o equipamento eletrônico necessário para instalação tinha valor elevado, enquanto 4,2% disseram que o serviço não estava disponível nos locais que costumava frequentar. A falta de interesse em acessar internet foi à resposta de 35,1% e outros 45,1% não sabiam usar a internet. Somente 2,7% disseram outro motivo.

A Pnad também quis saber o percentual daqueles que tinham telefone móvel para uso pessoal. Um total de 84,7% disse necessitar do aparelho para esta finalidade. Entre os que não tinham, 24,6% disseram que o celular era caro; 28,8% se utilizavam de celular de outra pessoa; 15,4% não tinha interesse em usar telefone móvel; e 12,8% disseram ter outros motivos.

Por fim, a pesquisa também apontou o percentual de domicílios com televisão e o tipo do aparelho. Dos 96,7% que disseram ter TV, 56,2% responderam se tratar de tela fina (LED, LCD ou plasma), 30% somente de tubo, e outros 10,5% dos dois casos. Somente 3,3% disseram não ter TV em casa.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions