ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, QUINTA  23    CAMPO GRANDE 25º

Lugares por Onde Ando

Conheça os obstáculos no caminho do turismo da vacina

Por Paulo Nonato de Souza | 29/05/2021 08:38
"Eu recebi minha vacina Covid-19", diz adesivo distribuído em Miami entre turistas imunizados contra o coronavírus (Foto: Reprodução)
"Eu recebi minha vacina Covid-19", diz adesivo distribuído em Miami entre turistas imunizados contra o coronavírus (Foto: Reprodução)

Se você está ansioso para ser imunizado contra a Covid-19, não tem ideia de quando será a sua vez na sequência do cronograma da vacinação, e tem planos de embarcar na onda do turismo da vacina nos Estados Unidos, saiba que a missão não é tão simples.

O passeio é bastante interessante, capaz de unir saúde e diversão, mas antes de desembarcar em Orlando ou Nova York, por exemplo, destinos onde poderá se vacinar gratuitamente, há a necessidade de fazer quarentena de 14 dias no México ou em algum país da América Central. Isso pode ser um fator inibidor importante.

“Neste momento a questão do visto de entrada nos Estados Unidos pode ser o grande obstáculo, caso a pessoa não tenha o visto válido. Isso porque o consulado americano está agendando entrevistas de liberação de visto para a partir de março de 2022”, disse Ceila Arakaki, da operadora Voe Viagens, de Campo Grande.

Considerando o alto preço do dólar (fechou a semana a R$ 5,24) o preço total de uma viagem aos Estados Unidos a partir de Campo Grande, incluindo a passagem e a quarentena no México, segundo Ceila Arakaki, sai por R$ 16.500,00 por pessoa, valor que pode ser parcelado em 10 pagamentos de R$ 1.650,00. “Portanto, o custo da viagem não é o principal obstáculo, pois quem se dispõe a viajar para ser vacinado contra a Covid-19 em outro país é porque tem condições financeiras”, ressaltou.

Se a viagem for programada para Orlando, na Flórida, para fazer a quarentena em Cancun, na América Central,  destino da preferência dos brasileiros, os preços de diárias de hotéis na costa do Mar do Caribe varia de R$ 500 a R$ 1.200,00. Se este for o caminho, vale levar em consideração a possibilidade de ter que a permanência alongada na região caribenha por causa da limitação de voos, o que irá resultar em mais gastos antes de chegar ao objetivo final.

“Ainda não tive nenhum cliente interessado nesse tipo de turismo. Com certeza o custo dessa viagem é um complicador, porque tem que ficar 14 dias no México e depois mais 5 nos Estados Unidos, e isso encarece muito a viagem”, avalia Alcir Caramalac Junior, sócio da agência Siga Viagens & Turismo, de Campo Grande.

ALGUMAS DICAS - Se você vai mesmo viajar para se vacinar, conheça os requisitos básicos do turismo da vacina nos Estados Unidos:

É preciso ter visto americano válido e o cumprimento obrigatório de duas semanas de quarentena (14 dias) em outro país (geralmente México), para que sua entrada em território americano seja liberada.

- Os turistas devem ter teste negativo do tipo PCR como condição para desembarcar em solo americano.

- São três opções de vacinas: a Janssen, Johnson & Johnson, a Moderna e Pfizer.

- Melhor optar pela Janssen, que é uma dose só. As vacinas da Pfizer e a Moderna exigem duas doses, e isso significará ter que ficar mais tempo nos Estados Unidos.

- Para pousar em solo americano, os turistas devem realizar o teste do tipo PCR e precisam ter passado catorze dias em um terceiro país. No caso dos brasileiros,

- Destinos como México, República Dominica e Panamá têm sido os mais populares entre os brasileiros para a espera pré-vacina.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário