A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 07 de Dezembro de 2016

10/04/2015 10:54

Mesmo com reajuste do piso na Câmara, magistério faz paralisação dia 15

Sindicato acusa prefeitura de não dialogar com a categoria e de não cumprir acordo sobre servidores administrativos

Helio de Freitas, de Dourados

Professores e servidores administrativos de escolas da Rede Municipal de Ensino de Dourados, a 233 km de Campo Grande, vão fazer uma paralisação de 24 horas no dia 15 deste mês em protesto contra a prefeitura. O anúncio foi feito pelo Simted (Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação), que acusam o município de não dialogar com as categorias do magistério.

Veja Mais
Prefeitura envia à Câmara reajuste do magistério e piso de agentes de saúde
Impasse jurídico continua e Simted entra em colisão com Fetems

Nesta semana, a prefeitura mandou para a Câmara de Vereadores o projeto de lei concedendo 13,01% de reajuste do piso nacional dos professores, índice apontado pelo governo federal e que garante aos professores douradenses o salário-base adotado em todo o país. Entretanto, o Simted afirma que o município não abriu diálogo com os servidores e também não estaria cumprindo o acordo firmado no ano passado sobre os administrativos.

“Desde fevereiro a categoria tenta uma agenda com o prefeito de Dourados, sem sucesso. Também já enviou os nomes das pessoas que compõem a Comissão que irá coordenar a PCCR [Plano de Cargos e Carreiras] e continua aguardando uma resposta do Poder Executivo. No entanto, a administração municipal, sem qualquer diálogo com o Simted e com a comissão de negociação, ignorou a categoria e enviou para o Legislativo um projeto de lei de reajuste de 13,01% para cumprir a lei federal do piso nacional para 40 horas, e até o momento não se manifestou sobre o administrativo da Educação”, diz nota divulgada hoje no site do sindicato.

De acordo com a presidente eleita do Simted, Gleice Jane Barbosa, entre os acordos que encerram a greve do ano passado estava a implantação da política do piso nacional para 20 horas do magistério até 2016, 30 horas para o administrativo e retomada das negociações sobre o PCCR do administrativo em fevereiro deste ano. Eleita há cinco meses, até agora Gleice não tomou posse devido a uma batalha na Justiça com os integrantes de uma chapa de oposição impugnada da disputa.

“Além de não dialogar, a prefeitura vetou o artigo que garantia a redução de 40 para 30 horas dos servidores administrativos da educação, desrespeitando a negociação de novembro. Diante da postura autoritária e de intransigência da administração municipal, a categoria se reuniu em assembleia e definiu que irá realizar uma paralisação”, afirma o Simted.

A Secretaria de Educação de Dourados ainda não se manifestou sobre a paralisação do dia 15. Gleice informou que a greve de um dia vai fazer parte da mobilização nacional contra o projeto de terceirização, aprovado nesta semana na Câmara Federal.




imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions