A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2017

14/07/2015 15:39

Concorrência: ameaça ou oportunidade?

Por Sidney Cohen (*)

O que seria da empresa se ela não tivesse concorrência? A competitividade entre empresas está mais acentuada, e entender a concorrência de perto, poderá trazer benefícios para sua organização. A ameaça da concorrência pode se transformar em grande oportunidade. Neste contexto, dou algumas dicas sobre como a concorrência pode servir como fonte de inspiração.

1. Fique atento aos pontos fracos de seu concorrente: se eles representam os seus pontos fortes, você tem grandes chances de surpreender o mercado.

2. Faça o dever de casa: para entender o concorrente, não será preciso ir muito longe. Geralmente as empresas possuem um histórico informatizado de oportunidades ganhas e perdidas. Neste caso, será possível mapear as informações importantes como empresas vencedoras, preços praticados, dentre outros. Algumas elaboraram um ranking das empresas que participaram das oportunidades, com o objetivo de pontuarem os fatores que contribuíram para o sucesso e fracasso. Mensalmente o ranking deve ser monitorado com o objetivo de se chegar ao topo. Para isso será importante converter erros em acertos, de forma estratégica, transformando oportunidades em negócio fechado.

3. Fontes externas: são muitas as fontes, destaco o site do concorrente, notícias, redes sociais (certifique-se antes da veracidade da informação) e principalmente o seu cliente. Estude o mercado, fique atento aos casos de benchmarking, modelos de procedimentos adotados por empresas que são referências, mesmo que não concorrentes, poderão ser adaptadas em sua empresa.

4. Evite promessas: não caia na tentação de se praticar o “precinho” e “prazão”, muitas vezes estimulados pela concorrência. É preciso ter um fluxo de caixa estável para se praticar essas ações.

5. Seu cliente merece atenção: conheça profundamente o seu cliente a ponto de atendê-lo 100%. Caso contrário, ele irá bater na porta do seu vizinho, seu concorrente.

6. Cliente oculto: bastante aplicado para avaliar a qualidade, atendimento e processos da própria empresa, vem sendo aplicado também para entender melhor a concorrência. É comum em pequenas empresas o próprio dono ser cliente do seu concorrente para estudá-lo melhor.

O cliente é o seu desejo, o concorrente o seu rival. É preciso sempre buscar a superação, para surpreendê-los.

(*) Sidney Cohen é palestrante, diretor da Bit Partner Consultoria Empresarial - www.bitpartner.com.br e diretor do PME NEWS – Informativo eletrônico para Pequenas e Médias Empresas.

A bolha da saúde brasileira está prestes a explodir
A crise econômica e o crescente índice de desemprego da população brasileira refletiram diretamente no setor da saúde. Recente estudo revelou que mai...
Marchinhas do coração
Sei que existem as marchinhas preferidas do coração. São as do passado ou do presente, mas não é delas que quero falar, e, sim, do sofrido coração br...
Reforma da Previdência: aprofundando o deserto na vida dos trabalhadores
O cinema enquanto “sétima arte” muitas vezes busca retratar realidades cotidianas na telona. Não foi diferente o filme “Eu, Daniel Blake”, ganhador d...
O dilema das prisões brasileiras
No último mês de janeiro assistimos, estarrecidos, às rebeliões nos presídios de Manaus, Boa Vista e Natal. As cenas de corpos sem cabeças chocaram a...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions