A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 19 de Junho de 2018

22/01/2015 09:42

Dicas para quem pensa em abrir o próprio negócio em 2015

Por Eduardo Ferraz (*)

Uma onda de empreendedorismo tem tomado conta do Brasil nos últimos anos. De acordo com a Serasa Experian, entre janeiro e julho de 2014 foram criadas em todo o Brasil 1.115.630 empresas. Número que representa um avanço de 2,9% em relação ao mesmo período de 2013. Isso tudo, apesar de um ano com a economia estagnada.

Para 2015, a perspectiva continua pessimista. A principal dica, neste caso, é ter cautela. O ano será difícil e antes de pensar em abrir qualquer negócio é preciso ter uma reserva financeira para suportar alguns meses com baixo faturamento, o que é normal em uma empresa recém aberta. Por outro lado, as crises também podem sinalizar boas oportunidades, como o lançamento de produtos adequados à determinada demanda, como a falta de água em muitas regiões do país. Você pode se recolher em um abrigo ou aproveitar uma onda gigante para surfar.

Outra dica importante, antes de abrir qualquer negócio é fazer uma análise bastante criteriosa sobre alguns pontos essenciais, que nem todos consideram. O primeiro deles é ter perfil para empreender, já que nem todo mundo tem personalidade para administrar um negócio próprio.

O que isso quer dizer na prática? Que a pessoa precisa ter jogo de cintura para trabalhar com uma estrutura mínima, que aceite correr riscos, que seja multitarefas (vai ter que comprar, vender, produzir e fazer ajustes constantes) e principalmente, muita perseverança. Ou seja, características de personalidade que ajudarão muito no sucesso do negócio.

Além disso, é preciso fazer um planejamento detalhado para compensar a falta de experiência no ramo que vai atuar. A falha mais comum é o excesso de improviso, já que muitos empreendedores confiam demais em sua intuição e atuam na base da tentativa e erro olhando apenas para o curto prazo. Outro erro é misturar as finanças particulares com as despesas do dia a dia da empresa. É recomendável ter contas bancárias separadas, definir uma retirada mensal fixa e ter disciplina para não usar o caixa da empresa para fins pessoais.

Será importante, também, manter o foco, pois é comum que depois de alguns meses a empresa comece a atuar em áreas que não têm absolutamente nada a ver com o negócio original. Isso acaba dividindo a atenção e prejudicando a melhoria do principal serviço ou produto da empresa.

Por fim, é preciso paciência e dedicação, já que ter um negócio próprio exige, principalmente no começo, trabalho dobrado. A conclusão é que para ter seu próprio negócio, é preciso muita perseverança, bom senso e principalmente determinação.

(*) Eduardo Ferraz é consultor em Gestão de Pessoas há 25 anos e especialista em treinamentos usando como base a Neurociência comportamental. Acumula mais de 30.000 horas de experiência prática em empresas de vários segmentos. É pós-graduado em Direção de Empresas e autor dos livros “Por que a gente é do jeito que a gente é?”, “Vencer é ser você” e “Seja a pessoa certa no lugar certo”, pela Editora Gente. Para mais informações, acesse:www.eduardoferraz.com.br ; www.facebook.com/eduardoferrazconsultor

Condução coercitiva e os aspectos jurídicos
Em que pese tratar-se de temática absorta pela legislação processual penal desde a década de 40 (especificamente 1942, quando da entrada em vigor do ...
A carne mais barata do mercado é a carne negra
Os números apresentados pelo Atlas da Violência de 2018 mostram a agudização nas tendências do perfil de assassinatos cometidos no Brasil: a vítima é...
O impacto da arte
Campo Grande foi agraciada neste fim de semana com um espetáculo de dança-teatro que, certamente, é digno de ser apresentado nas maiores cidades do m...
Promessas inviáveis
Nos próximos seis meses, assistiremos a três eventos: bons jogos de futebol, repetitivas eleições e promessas inviáveis. Os primeiros, em função da C...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions