A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Março de 2017

21/08/2014 14:02

Intercâmbio para casais: será que vale a pena?

Por Ana Luisa D'Arcadia de Siqueira (*)

O intercâmbio cultural vem sendo cada vez mais procurado por brasileiros de diferentes faixas etárias. São muitas as razões que levam os alunos a correr atrás desse sonho: aprimorar um idioma, viver novas experiências, conhecer uma nova cultura, fazer um curso específico em sua área de atuação, entre outros.

Um dos maiores obstáculos enfrentados por quem quer fazer uma viagem de intercâmbio é deixar familiares, amigos próximos ou os companheiros para trás. Muitos adiam ou acabam por desistir dos planos. Mas desistir não é a única saída para driblar a saudade, especialmente quando se trata de relacionamento a dois. Para não sofrer com a distância, muitos casais se programam para fazer a viagem de intercâmbio juntos.

Este tipo de planejamento pode acontecer em diversas situações. Há casos em que um dos dois é transferido pela empresa ou precisa fazer um curso específico em sua área de atuação e o outro decide aproveitar para fazer um curso de idioma. Em outros casos, os dois já compartilhavam a vontade de morar fora do país e decidem embarcar juntos nessa experiência.

Uma viagem de intercâmbio em casal pode trazer muitos benefícios. Viajar com uma pessoa conhecida traz uma segurança muito maior. E claro que as vantagens vão muito além. É possível conhecer novos lugares, viajando durante as folgas com uma companhia especial. Outra vantagem é poder dividir a acomodação. Casais que viajam juntos podem dividir quartos em residências estudantis ou buscar apartamentos para alugar pelo período de estadia no destino.

Mas uma viagem desse tipo também envolve algumas dificuldades, o que acaba se tornando um teste para a relação. A convivência contínua pode trazer problemas para casais que não conseguem respeitar o limite do outro, principalmente no caso daqueles que ainda não moram juntos. Também é preciso tomar cuidado para não se isolar, fazer apenas programas em casal e acabar não conhecendo novas pessoas, o que prejudica algumas das maiores vantagens de um intercâmbio que é conhecer novas culturas e praticar outros idiomas.

Os destinos procurados variam de acordo com o perfil. Irlanda e Austrália são muito procurados por aqueles que pretendem trabalhar para se manter durante o período fora do país. Mas há também uma grande procura por Inglaterra, Estados Unidos e Canadá. Alguns casais buscam lugares menos comuns para intercambistas como Malta ou África do Sul. O importante é que o local escolhido ofereça o curso procurado e que agrade o casal em relação ao clima, lazer, cultura, etc.

Viver uma experiência no exterior enriquece a bagagem cultural de um aluno. Quando é possível compartilhar esse momento com uma pessoa importante, este período pode ser ainda mais marcante. O importante é aliar os objetivos a um destino adequado aos interesses do casal.

(*) Ana Luisa D'Arcadia de Siqueira é diretora de marketing da Global Study, franquia de intercâmbios.

Operação Carne Fraca: consequências
Passados alguns dias da deflagração da Operação Carne Fraca, a maior da Polícia Federal na sua história, é possível fazer uma análise preliminar de s...
Terceirização tira um dos obstáculos ao desenvolvimento do Brasil
A aprovação do projeto que regulamenta a terceirização é uma excelente notícia para o país. Ao mesmo tempo em que é decisiva para dar segurança juríd...
Glifosato: o veneno está em todo lugar
O primeiro teste em alimentos para resíduos de glifosato realizado por laboratório registrado na Administração de Alimentos e Medicamentos dos Estado...
Falácias da terceirização
A Câmara dos Deputados aprovou, na quarta-feira, o projeto de lei que autoriza a terceirização do trabalho de forma irrestrita. Com esta aprovação, a...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions