A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Março de 2017

23/03/2011 16:51

Lúdio Coelho: morre o homem, fica a idéia

Por Marisa Serrano (*)

Ludio Coelho deixa um legado de seriedade, honestidade e compromisso, difícil de ver hoje em dia na política. O longo convívio que tivemos foi uma experiência enriquecedora. As conversas constantes que mantínhamos sobre política, economia e projetos de interesse do País sempre eram revestidas de lições que acrescentavam aspectos positivos ao rumo das coisas. Lúdio era um homem especial porque conhecia o mundo das elites e tinha notável experiência com os sentimentos do povo.

Ele sempre colocava imensa dose de generosidade em tudo que fazia, ponderando e analisando os acontecimentos de maneira peculiar, mostrando que a tolerância, a humildade e a honestidade deviam ser as principais marcas dos homens públicos. Foi assim que se formou uma verdadeira mitologia em torno de seus comentários sagazes sobre a vida política em nosso Estado.

Como prefeito de Campo Grande Lúdio começou a imprimir um processo de mudanças que permanece até hoje. Ele adotou na administração municipal duas regras básicas que garantiram o sucesso de sua gestão. Para ele, o dia a dia de uma cidade deve começar como numa casa de família: primeiro varre-se e faz-se a limpeza geral das ruas, calçadas, áreas verdes, prédios públicos; depois, verificam-se as contas, cuidando sempre para que a receita nunca ultrapassasse e a despesa. Simples assim, como ele e o seu jeito, “seo” Lúdio fez uma administração revolucionária, equacionando problemas que se

arrastavam havia anos na gestão do município.

Ele era um democrata pleno, um ser humano sensível e um político destituído de vaidade e melindres. Sabia ser objetivo em seus propósitos, defendendo com sinceridade e firmeza seus pontos de vista. Por isso, ao longo de sua vida pública, tornou-se uma referência para a classe política sul-mato-grossense e um modelo a ser seguido.

Acredito que personalidades como a dele estão se tornando raras no mundo da política. Lúdio era intransigente com os interesses gerais da sociedade. Ele jamais permitiu que houvesse mistura de interesses públicos e privados. Assim, ganhou respeito e credibilidade. Dessa forma, ganhará um merecido lugar em nossa história, deixando saudades e lágrimas nos olhos.

Suas idéias ficarão e permanecerão. Seu exemplo poderá ser transmitido pelas próximas gerações. Dependerá daqueles que acreditam em seu legado, estando dispostos a defender a importante herança que deixa para a nossa sociedade: desprendimento, seriedade e grandeza de espírito.

(*) Marisa Serrano é senadora da República pelo PSDB/MS.

O que muda com a nova Lei da Terceirização aprovada pela Câmara
Quarta-feira passada a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei que regula a terceirização, a principal alteração trazida pelo PL 4330/04 é a po...
Eis que eu renovo todas as coisas ...
Neste início do outono, a estação mais bonita do ano para mim, aquela que considero “a minha estação”, há uma característica metafísica que a torna d...
Operação Carne Fraca: consequências
Passados alguns dias da deflagração da Operação Carne Fraca, a maior da Polícia Federal na sua história, é possível fazer uma análise preliminar de s...
Terceirização tira um dos obstáculos ao desenvolvimento do Brasil
A aprovação do projeto que regulamenta a terceirização é uma excelente notícia para o país. Ao mesmo tempo em que é decisiva para dar segurança juríd...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions