A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 25 de Junho de 2018

29/11/2014 14:22

Meio século de filantropia

Por Luiz Gonzaga Bertelli (*)

As instituições assistenciais ou filantrópicas nasceram da necessidade de completar serviços que o poder público não consegue cobrir. Com a complexidade da vida moderna, a importância dessas entidades aumentou, principalmente nas áreas de vulnerabilidade social, localizadas, em sua maioria, nas periferias das grandes cidades. O sociólogo Herbert de Souza, o Betinho – um dos maiores ícones brasileiros na área assistencial – dizia que as entidades de Terceiro Setor são “comitês de cidadania e surgiram para ajudar a construir a sociedade democrática com que todos sonham”.

Um desses papéis é desempenhando pelo CIEE, ao longo dos últimos 50 anos. Fundado por empresários e educadores, nasceu de um sonho de desenvolvimento social e da perseverança de um grupo de empreendedores que enxergaram a necessidade da formação de jovens para inseri-los com mais qualidade no ambiente do trabalho. Foi assim que o CIEE proporcionou a entrada de milhões de jovens no mercado por meio do estágio e da aprendizagem.

Para atender as exigências corporativas, o CIEE criou cursos de capacitação presenciais para desenvolver aptidões, orientar os jovens nas escolhas profissionais e qualificar melhor os estudantes para as empresas. Do desenvolvimento desse trabalho surgiram outros, como a alfabetização e suplência de jovens e adultos, um programa que visa alfabetizar e dar continuidade aos estudos para o ensino fundamental e médio, que já beneficiou mais de 50 mil pessoas. A educação à distância também se destaca entre os programas de caráter educativo e social, pois viabiliza a democratização do ensino, dando a oportunidade aos jovens, de áreas longínquas, estudar com o mesmo conteúdo daqueles que vivem nas grandes cidades. O programa do CIEE nesta área já conta com mais de 2,4 milhões de matrículas.

A aprendizagem também é hoje um dos carros-chefes do CIEE. Em uma parceria com a Fundação Roberto Marinho, o Aprendiz Legal capacita 65 mil jovens talentos em milhares de empresas por todo o país. Ao longo de meio século, mais de 15 milhões de jovens já se beneficiaram dos serviços e das ações sociais que o CIEE realiza pelos quatro cantos do país.

(*) Luiz Gonzaga Bertelli é presidente executivo do Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE), da Academia Paulista de História (APH) e diretor da Fiesp.

A corda arrebenta para todos
Ao pensar na África, geralmente formamos imagens com exuberância de recursos naturais. Falta de água nos remeteria aos desertos daquele continente, e...
Os três pilares do aprendizado
A educação brasileira passa por um profundo processo de transformação com a implantação da nova Base Nacional Comum Curricular. Precisamos estar pron...
O país onde tudo é obrigatório
Nos Estados Unidos, na França e na Inglaterra, as regras ou são obedecidas ou não existem, por que nessas sociedades a lei não é feita para explorar ...
Universidade pública e fundos de investimento
  A universidade pública não é gratuita, mas mantida pelos recursos dos cidadãos. E por que a Constituição brasileira escolheu determinar esse tipo d...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions