ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  31    CAMPO GRANDE 19º

Cidades

A cada hora, 12 motoristas são multados no trânsito de Campo Grande

Dirigir acima da velocidade permitida e conversão proibida são algumas das infrações mais cometidas pelos motoristas

Por Jhefferson Gamarra, Alana Portela e Bruna Marques | 20/02/2021 09:53
Multa que chegou na casa do motorista, por excesso de velocidade. (Foto: Henrique Kawaminami)
Multa que chegou na casa do motorista, por excesso de velocidade. (Foto: Henrique Kawaminami)

Desatenção no trânsito, estacionar em local proibido e alta velocidade são algumas das diversas infrações cometidas pelos motoristas, que resultaram na aplicação de 18.690 multas na Capital, em quase dois meses. O balanço foi divulgado no dia 18 deste mês, na edição suplementar do Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande).

Os dados foram registrados entre o dia 1º de dezembro de 2020 a 29 de janeiro deste ano. A quantidade de infrações representa, em média, 311 multas distribuídas diariamente ou 12 flagrante a cada hora. O número assusta e por isso, a reportagem esteve, na avenida Afonso Pena com a 14 de Julho - um dos cruzamentos mais movimentados da Capital - para conversar com os motoristas.

Ney Custódia é motorista de aplicativo e fala que já levou multa. (Foto: Henrique Kawaminami)
Ney Custódia é motorista de aplicativo e fala que já levou multa. (Foto: Henrique Kawaminami)

Parado no semáforo esperando o sinal abrir, Ney Custódia, 47 anos, confessa que já perdeu cinco pontos na carteira após fazer uma conversão errada. "Há algum tempo, fiz uma conversão à esquerda, onde não podia. Depois tive que pagar R$ 160", lembra.

Ele trabalha como motorista de aplicativo há quatro anos e relata que, depois de sentir o prejuízo no bolso, aprendeu a lição. "Não faço mais isso porque a gente aprende com o erro", afirma. E para evitar outro prejuízo, ele sempre avisa os passageiros para usarem cinto de segurança. "Eles são acomodados, não estão nem aí, porém, ainda não levei multa por isso. Sempre peço para colocarem".

Roberto Afonso de Lima conta que também já foi multado. (Foto: Henrique Kawaminami)
Roberto Afonso de Lima conta que também já foi multado. (Foto: Henrique Kawaminami)

O aposentado, Claudiano Ferreira Nunes, 63 anos, foi multado em dezembro de 2020, por dirigir acima da velocidade permitida. "Estava na Avenida Tamandaré. A via era de 50 km e eu passei o radar a 63 km. Depois recebi a multa no valor de R$ 130,16", recorda.

Ele afirma que o local por onde passou é pouco movimentado e admite não ter prestado atenção "Foi desatenção porque o radar é bem visível, mas é uma pista não tem escola e não é cruzamento, com pouco movimento. Não tinha necessidade de ter um radar ali, é exclusivamente para capitação de multas", frisa.

Além de afetar o financeiro, Claudiano ainda perdeu cinco pontos na carteira por conta da infração. E quem também levou multa, mas por estacionar em local proibido foi o empresário Roberto Afonso de Lima, 51 anos. "Há dois meses fui multado por parar na vaga reservado para taxistas, no Centro. Era coisa rápida, mas acabei pagamento cerca de R$ 190,00 e perdi sete pontos".

Agente de trânsito fiscalizando os motoristas na Avenida Consul Assaf Trad. (Foto: Henrique Kawaminami)
Agente de trânsito fiscalizando os motoristas na Avenida Consul Assaf Trad. (Foto: Henrique Kawaminami)

Monitoramento - Na manhã dessa sexta-feira (19), uma equipe da Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), esteve na Avenida Capital com a Avenida Cônsul Assaf Trad, região norte da cidade, onde estavam fiscalizando a área. Em meia hora de serviço, três condutores foram flagrados falando no celular enquanto dirigiam.

Multa aplicada por falar no celular enquanto dirige. (Foto: Henrique Kawaminami)
Multa aplicada por falar no celular enquanto dirige. (Foto: Henrique Kawaminami)

Justificativa - A lista divulgada esta semana convoca os donos de veículos para apresentarem a defesa no prazo de 15 dias ou apontarem os condutores responsáveis pela infração para que seja dado continuidade ao processo administrativo. Após o prazo estabelecido, se inicia a conversão da autuação em multa ou o seu arquivamento, com novo prazo para abertura de defesa da penalidade.

Não foram detalhados, no suplemento do Diogrande, os tipos de penalidades cometidas ou a forma com a qual foram flagradas se por agentes de trânsito ou radares fixos.

A imprudência de motoristas reflete o número de acidentes em Campo Grande. De acordo com dados da Agetran, no mesmo período em que as multas foram aplicadas, 15 pessoas morreram no trânsito da Capital.

Mais infrações - Em 2020, o Detran-MS (Departamento Estadual de Trânsito de Mato Grosso do Sul) confeccionou 540.869 autos por infrações de trânsito em todo o Estado. A maioria das multas foram aplicadas em Campo Grande (231.620), em seguida aparecem Dourados (67.632), Três Lagoas (37.678), Nova Alvorada do Sul (17.045) e Ponta Porã (12.689).

As infrações predominantes foram: transitar em velocidade superior a máxima permitida em até 20%, com 226.497; em seguida transitar em velocidade superior a máxima permitida de 20% a 50%, com 50.237; deixar de efetuar registro do veículo em 30 dias em caso de troca de propriedade, com 26.155; executar conversão a esquerda em local proibido, com 21.349 e deixar de usar o cinto de segurança, com 16.936 penalizações.

Não foram informados os valores arrecadados com as penalidades aplicada no Estado.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário