A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 17 de Agosto de 2019

13/08/2019 13:03

Alvo da PF, vereador que distribuía cigarros no Nordeste segue foragido

Grupo investigado também inclui dois policiais rodoviários federais, que foram presos

Aline dos Santos
Operação Trunk foi realizada pela Polícia Federal em 31 de julho. (Foto: Henrique Kawaminami)Operação Trunk foi realizada pela Polícia Federal em 31 de julho. (Foto: Henrique Kawaminami)

Vereador em Riacho dos Cavalos, município de 8 mil habitantes na Paraíba, Irismar Gadelha Soares (PSDB) segue foragido na operação Trunk, realizada em 31 de julho pela PF (Polícia Federal) no combate a contrabando de cigarros.

Ele é apontado como responsável por distribuição dos cigarros, de origem paraguaia, na região Nordeste. No ano de 2012, teve caminhão de sua propriedade apreendido em Mato Grosso do Sul. O veículo transportava mercadoria estrangeira.

Alvo da Trunk, o grupo, que inclui dois policiais rodoviários federais, é investigado há um ano. Desde então, foi apreendido o equivalente a R$ 70 milhões em cigarros contrabandeados. A Polícia Federal identificou que a carga vinha sempre de Ponta Porã e seguia para São Paulo e Nordeste.

No período de julho de 2018 a março de 2019, foram aprendidos quatorze caminhões e dois carros de passeios, todos lotados de cigarro. Durante oito meses de investigação, o prejuízo ao erário público foi calculado em R$ 42 milhões.

Conforme a apuração, o grupo é comprovadamente composto por agentes públicos, sendo dois policiais rodoviários federais e um vereador. “Sendo que aqueles teriam justamente o dever de coibir a prática delituosa e zelar pela segurança pública, enquanto que este deveria representar a população de seu município na elaboração de leis, bem como fiscalizar a correta atuação estatal”.

A operação prendeu, em Dourados, os policiais rodoviários federais Moacir Ribeiro da Silva Netto e Alaércio Dias Barbosa. Nas gravações, o posto da PRF (Polícia Rodoviária Federal) é chamado de “casinha”.

Com o dinheiro da propina, Alaércio teria arrendado o Prime Motel e Pousada, localizado em Ponta Porã. A operação cumpriu mandados na Capital, Dourados, Ponta Porã, Rio Brilhante, Embu-Guaçu (SP) e São Bento (PB).

O nome da operação faz referência ao modo de operação da quadrilha, que utilizava caminhão-baú para transporte do cigarro contrabandeado do Paraguai. A reportagem não conseguiu contato com o vereador citado.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions