ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUARTA  17    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Analfabetismo não mudou entre pretos e indígenas em MS após 12 anos

IBGE divulgou dados compilados do Censo 2022; mulheres ainda lideram quando o assunto é analfabetismo

Por Lucas Mamédio | 17/05/2024 09:00
Mulheres andando pelo centro de Campo Grande (Foto: Marcos Maluf)
Mulheres andando pelo centro de Campo Grande (Foto: Marcos Maluf)

O novo recorte do Censo 2022 divulgado pela IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) sobre alfabetização mostra que em Mato Grosso do Sul, em números absolutos, a maioria da população não alfabetizada é de mulheres. Ainda assim, os dados apresentam uma melhora no índice, se comparado com 2010. O que não muda é a realidade de pretos e indígenas nessa falha da educação básica.

Do total de 2.150.221 pessoas que compõem o Censo em Mato Grosso do Sul no ano de 2022, 2.034.357 são alfabetizadas, ou seja,  94,6 % das pessoas. Da quantidade de 115.864 que não sabem ler ou escrever, 55.576 são homens e 60.288 mulheres. Neste caso, as mulheres representam 52% dos analfabetos no Estado.

O mesmo recorte traz uma notícia boa se comparado ao Censo de 2010. Vale ressaltar, porém, que a amostragem de 2010 é com pessoas acima dos 5 anos, enquanto em 2022 é acima dos 15 anos. Na época, Mato Grosso do Sul contava com 74.117 mulheres não alfabetizadas, uma diminuição de 18% em 12 anos de intervalo.

O total de analfabetos também é menor em 2022, caindo de 141.141 pessoas em 2010 para as 115.864 em 2022, uma diminuição de 17,9%.

Indígenas durante reunião da Comissão de Direitos Humanos em MS. (Foto: Fernando Bola/Câmara Federal)
Indígenas durante reunião da Comissão de Direitos Humanos em MS. (Foto: Fernando Bola/Câmara Federal)

Raça e cor

O recorte também faz a relação da alfabetização com raça e cor. Do total de pessoas analfabetas em 2022 em Mato Grosso do Sul, 35.093 são brancas, 12.858 são pretas, 316 amarelas, 59.051 pardas (a maioria) e 8.542 indígenas.

Já em 2010, do total de pessoas analfabetas, 47.244 eram brancas, 12.763 pretas, 969 amarelas, 71.517 pardas (a maioria) e 8.648 indígenas.

Esses dados mostram pouca mobilidade na alfabetização de pretos e indígenas em números absolutos. Um diferença de cerca de 100 pessoas a menos em cada uma dessas categorias.

Taxas de alfabetização

Os dados também trazem a taxa de alfabetização, que é a porcentagem de alfabetizados em relação ao total de pessoas daquele grupo. Mato Grosso do Sul tem, no total, 94,61% de alfabetização.

Na tabela por raça e cor, pretos e indígenas ficam em último no Censo de 2022, sendo os indígenas o único grupo abaixo dos 90%. Brancos têm 96,14%, pretos 91,76% amarelos 98,17%, pardos 94,12% e indígenas 86,64 %.

Na questão de sexo, homens e mulheres ficam quase empatados na taxa de alfabetização, sendo homens 64,69% e mulheres com 94,53%

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias