A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 21 de Novembro de 2019

17/10/2019 12:22

Até quem gostava esqueceu que outubro trazia o horário de verão

Se fosse adotado este ano, horário de verão começaria no próximo domingo; regra foi suspensa pelo governo federal

Silvia Frias e Clayton Neves
MS era um dos estados que adotava o horário de verão, regularmente, desde 1985 (Foto: Henrique Kawaminami)MS era um dos estados que adotava o horário de verão, regularmente, desde 1985 (Foto: Henrique Kawaminami)

No calendário regular nacional, esta seria a semana que antecederia a “sofrência” ou a felicidade em Mato Grosso do Sul: a contagem regressiva do horário de verão, medida que nunca foi indiferente à população, sendo tema polêmico e de debates acalorados.

Mas hoje, em rápida pesquisa na cidade, a maioria nem se lembrou que já deveria estar se preparando psicologicamente para adiantar os relógios em uma hora. A mudança era regularmente adotada no terceiro domingo de outubro até fevereiro, ou seja, entraria em vigor no dia 20 deste mês. Somente em 2018, por causa do período eleitoral, começou em novembro.

“Era para ser agora? Ah, é verdade”, disse a estudante Andressa Cardoso, 25 anos. Apesar de ter passado batido, ela disse que gostava do horário de verão, pois aproveitava mais o dia. “Agora é ruim, cedo o sol já está explodindo, queria que o horário voltasse; quem sabe no próximo governo”.

A retomada não está descartada pelo governo federal. Em abril, ao anunciar que o horário diferenciado não seria adotado, o porta voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros disse que a mudança é válida para 2019. “Para o próximo ano, faremos avaliação posterior".

Maristela e a mãe, Evangelina, gostaram do fim do horário de verão (Foto: Henrique Kawaminami)Maristela e a mãe, Evangelina, gostaram do fim do horário de verão (Foto: Henrique Kawaminami)
Andressa diz que, sem a mudança, sol está explodindo logo cedo (Foto: Henrique Kawaminami)Andressa diz que, sem a mudança, "sol está explodindo" logo cedo (Foto: Henrique Kawaminami)

A artesã Maristela Furtado, 46 anos, pertence ao grupo que não faz questão alguma da volta do horário de verão. “Até que enfim tiraram, era bom só para rico, para pobre não era legal”. Ela justifica dizendo depende de ônibus e era perigoso sair de manhã, ainda no escuro. “Aí à tarde, pensa nesses ônibus da vida, com sol rachando”.

Quem também comemorou o fim do horário de verão foi a mãe de Maristela, a aposentada Evangelina Ribeiro, 67 anos, a única que lembrou na hora que este seria o mês da mudança. “Acho que era um risco sair cedo, principalmente para as mulheres, espero que fique como está”.

Maria Neusa diz que sente falta do clima bom que vinha com sistema (Foto: Henrique Kawaminami)Maria Neusa diz que sente falta do "clima bom" que vinha com sistema (Foto: Henrique Kawaminami)
Maria Iraídes nem quer pensar na volta do horário. Tá bom assim (Foto: Henrique Kawaminami)Maria Iraídes nem quer pensar na volta do horário. "Tá bom assim" (Foto: Henrique Kawaminami)

Na torcida contrária está a cozinheira Maria Neusa da Cunha, 50 anos. “Gostava, tinha um clima bom”. Ela também diz que dava para aproveitar mais o dia, com fim de tarde ainda claro. “Torço para que volte”.

A mudança foi aplicada pela primeira vez no Brasil em 1931 passou a ser anual no Brasil, sem interrupções, a partir de 1985, sendo aplicada em Mato Grosso do Sul e outros nove estados, além do Distrito Federal.

A suspensão foi baseada em pesquisa do Ministério de Minas e Energia, em que 53% dos entrevistados pediram o fim de verão. Nessa lista dos descontentes também está a aposentada Maria de Iraídes, 70 anos. “Ah, não, mudava a vida da gente, nem percebi que deveria começar agora; não percebi, mas deixa como está, tá bom assim”.



Que não volte nunca mais. Era horrivel.
 
Jose Antonio Leal Batista em 17/10/2019 13:54:09
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions