ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  12    CAMPO GRANDE 15º

Cidades

Candidatos ao concurso do Censo 2022 já podem consultar locais de prova

Provas serão realizadas neste domingo (10) em todo Brasil

Por Gabrielle Tavares | 04/04/2022 16:12
Recenseadores em campo. (Foto: Agência Brasil)
Recenseadores em campo. (Foto: Agência Brasil)

As provas do concurso para vagas de recenseador, ACM (agente censitário municipal) e ACS (agente censitário supervisor) Censo Demográfico 2022 serão aplicadas neste domingo (10) e os locais dos exames já podem ser consultados no site da FGV (Fundação Getúlio Vargas).

Para candidatos às vagas de recenseador, as provas começarão às 8h, horário local, e terminarão às 11h. São 50 questões objetivas, divididas em 10 questões de Língua Portuguesa, 10 de Matemática, 5 sobre Ética no Serviço Público e 25 de Conhecimentos Técnicos.

Já para os candidatos às vagas de ACM e ACS, as provas serão aplicadas no período vespertino, com início às 13h30 e término às 17h. São 60 questões, sendo 10 de Língua Portuguesa, 10 de Raciocínio Lógico Quantitativo, 5 de Ética no Serviço Público, 15 de Noções de Administração / Situações Gerenciais e 20 de Conhecimentos Técnicos.

O resultado final está previsto para 20 de maio.

O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) ressaltou que cada candidato deverá seguir os protocolos sanitários contra a covid-19 estabelecidos por cada município.

Oportunidades - Somente em Mato Grosso do Sul, são 2.524 vagas para recenseador, com remuneração por produção; 257 vagas para ACS, com salário de R$ 1.700; e 84 vagas para ACM, com salário de R$ 2.100.

A partir de 1º de agosto, mais de 213 milhões de habitantes, em mais de 70 milhões de domicílios, serão visitados pelos recenseadores nos 5.570 municípios do País.

As pesquisas pretendem mostrar as características dos domicílios, identificação étnico-racial, nupcialidade, núcleo familiar, fecundidade, religião ou culto, deficiência, migração interna ou internacional, educação, deslocamento para estudo, trabalho e rendimento, deslocamento para trabalho, mortalidade e autismo.

Nos siga no Google Notícias