ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEGUNDA  06    CAMPO GRANDE 29º

Cidades

Com risco de 400 mil casos, quarentena é hora de combater Aedes, diz secretário

Secretário de Saúde, Geraldo Rezende, diz que quarentena é momento para famílias adotarem a operação Mosquito Zero em casa

Por Silvia Frias | 04/04/2020 13:03
Mapa divulgado pelo governo mostra alta incidência da dengue em MS (Foto/Reprodução)
Mapa divulgado pelo governo mostra alta incidência da dengue em MS (Foto/Reprodução)

Com a maior incidência de casos de dengue no Brasil, Mato Grosso do Sul pode ter números ainda mais críticos da doença, cerca de 400 mil notificações, segundo o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Rezende.

“É um número perverso”, disse Rezende, em transmissão online, hoje, acrescentando que o período de quarentena também serve para as famílias se atentem aos cuidados necessários para evitar a proliferação do mosquito Aedes aegipty.

“O que fazer ficando em casa? Agora é hora de se debruçar no assunto que é motivo de muita preocupação, que é a dengue, vamos fazer na nossa casa a campanha Mosquito Zero”, disse.

O secretário apresentou dados alarmantes sobre a incidência da dengue no Estado: até agora, são 40.215 notificações, com 21 mortes e 17 em investigação. Somente na microrregião Campo Grande, são 16.556 notificações, seguida de Dourados (13.579), Três Lagoas (6.120) e Corumbá (3.960).

A incidência no Estado representa 1,5 mil para cada 100 mil habitantes, classificada como alta, exceto em apenas três municípios, que apresentam média incidência. “Mas já estamos em epidemia”, disse.

O número de notificações é ainda pior se levar em conta a estimativa de um caso conhecido para dez não identificados, o que pode significar cerca de 400 notificações. “Cuidar da da dengue é fundamental, são números bastante expressivos, que incomodam e envergonham”.