ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, TERÇA  09    CAMPO GRANDE 12º

Cidades

Depois de 1 ano de pandemia, escolas preparam-se para volta às aulas presenciais

Retorno foi motivado por vacinação avançada, mas SED pediu bom senso da comunidade escolar

Por Adriel Mattos e Mirian Machado | 03/10/2021 09:00
Em agosto, unidades organizaram escala para manter parte em casa e outra em sala de aula. (Fotos: Paulo Francis)
Em agosto, unidades organizaram escala para manter parte em casa e outra em sala de aula. (Fotos: Paulo Francis)

A Rede Estadual de Ensino de Mato Grosso do Sul prepara-se para retomar as aulas presenciais nesta segunda-feira (4), após um ano e nove meses de suspensão devido à pandemia de covid-19. Os alunos começaram a estudar em casa e aos poucos voltaram à sala de aula.

Até então as escolas tinham aulas com turmas reduzidas e alternadas, mantendo o ensino remoto em parte. Agora, todos os alunos retornam, ainda sob normas de biossegurança.

Na Escola Estadual Emygdio Campos Widal, no bairro Vilas Boas, o fim de semana será de preparativos para receber os estudantes. “Estamos ansiosos. Vamos organizar tudo no fim de semana para o retorno de todos”, frisou Fernanda Bucallon, diretora da unidade.

Os cuidados com a limpeza são os mesmos desde agosto, quando começou o revezamento entre aulas presenciais e remotas em toda a rede estadual. “Enviamos bilhete aos pais falando sobre a volta às aulas, explicamos sobre as melhorias na educação e no convívio social com outros alunos e da lei, que é dever da família e direito da criança ir à escola, mas a maioria não questionou”, disse a diretora.

Diretora da escola, Fernanda Bucallon.
Diretora da escola, Fernanda Bucallon.

Desde esse retorno em agosto, apenas três alunos e um professor testaram positivo para a covid-19, mas nenhum deles estava em sala de aula. Questionada sobre as medidas de prevenção, Fernanda reforçou que a máscara segue obrigatória e a escola tem totens com álcool em gel em pontos estratégicos.

“Não tem isso (distanciamento) no ônibus nem no restaurante que eles vão. A escola faz parte do crescimento do estudante. Ele não está tendo mais nem menos direito”, afirmou.

Retorno total - Na quarta-feira (29), o secretário de Estado de Infraestrutura e presidente do comitê gestor do Prosseguir (Programa de Saúde e Segurança da Economia), Eduardo Riedel, afirmou que haverá “lotação normal dentro das salas de aula, independente do grau de risco do município”.

Esse retorno será concomitante ao início do quarto bimestre letivo. Segundo o governo estadual, haverá fiscalização se as escolas têm cumprido as normas básicas de biossegurança, tais como disponibilização de álcool em gel ou distanciamento de mesas.

Uma das justificativas para esse retorno, é de que o Estado possui boa cobertura vacinal contra o coronavírus, reduzindo os casos graves da doença. Ainda que cerca de 75% dos adultos estejam imunizados – com duas doses ou vacina única – esse índice é menor entre os adolescentes.

Desde o retorno híbrido das aulas estaduais, há 58 dias, foram confirmados pelo menos 503 casos de covid-19 entre alunos e professores. Segundo a SED (Secretaria de Estado de Educação), esses indivíduos permaneceram isolados e todos os procedimentos sanitários foram adotados.

“A gente vai pedir para os nossos gestores terem muito cuidado e complacência no retorno desses alunos. Não exigir a presença imediata. Sabemos que todos devem estar lá [na sala de aula], mas temos que ter compreensão dos nossos gestores”, disse o secretário-adjunto da pasta, Edio Antonio de Castro.

Medidas como uso de máscara e de álcool em gel continuam.
Medidas como uso de máscara e de álcool em gel continuam.


Nos siga no Google Notícias