ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 

Cidades

Em contrapartida a decreto, Estado apresenta dia 31 medidas de apoio ao varejo

Nesta manhã. mais de mil carros fizeram carreata em protesto contra medidas restrititvas

Por Ângela Kempfer | 25/03/2021 11:18
Foto do Secretário do Estado Sérgio Murilo na liva desta quinta-feira (Foto:Reprodução/Live)
Foto do Secretário do Estado Sérgio Murilo na liva desta quinta-feira (Foto:Reprodução/Live)

Um dia após decreto estadual que restringe o funcionamento do comércio em todo Mato Grosso do Sul, o secretário de Governo e Gestão Estratégica, Sérgio Murilo, anunciou que o Estado já estuda medidas para compensar as perdas do varejo.

Segundo ele, nesta quinta-feira (25), logo cedo houve reunião com o presidente da CDL (Câmara de Dirigentes Lojistas), Adelaido Luiz Spinosa Vila, para ouvir as reivindicações e elaborar uma proposta de compensação.

O secretário garante que na quarta-feira (31) já terá uma proposta fechada, com sugestões de diferentes setores do governo, para "recomposições das perdas. Vamos levar os pedidos e colocar em cada secretaria correspondente. O que pudermos atender nós vamos atender”.

Na tentativa de acalmar os empresários, o secretário lembrou que a discussão sobre as restrições foi longa e ampla. “Foi um decreto muito bem equilibrado, entre o desejo da saúde e da população”, garantiu.

Otimista, Sérgio Murilo avaliou que Estado e varejo estão no caminho para um acordo que reduza o prejuízo aos empresários e não comprometa o combate à doença.

“Hoje pela manhã recebemos o pessoal do varejo e já começamos a discutir uma pauta positiva para poder minimizar os efeitos da crise que vem junto com as restrições impostas para conter a pandemia. A gente sabe que essa doença colocou todo mundo de joelhos”, comentou.

Logo cedo, mais de mil carros foram em carreata até a prefeitura, em protesto contra restrições. (Foto: Kisie Ainoã)
Logo cedo, mais de mil carros foram em carreata até a prefeitura, em protesto contra restrições. (Foto: Kisie Ainoã)

Mais cedo, cerca de mil veículos seguiram do estacionamento do Parque das Nações indígenas em carreata contra as medidas de restrição. Uma das reivindicações é redução do ICMS, imposto recolhido pelo Estado.

Os manifestantes também foram até a prefeitura, onde conversaram com o prefeito Marquinhos Trad. O decreto municipal, com restrições a eventos e atendimento presencial acaba no próximo domingo, mas amanhã já começa a valer o decreto estadual, que prorroga as mesmas regras.

O prefeito lembrou que prorrogou o pagamento de ISS por dois meses, como forma de compensar as perdas.

Em nota, a Associação Comercial reconheceu que o momento é de prioridade à vida, mas defendeu que "a sobrevivência das empresas também não pode ser esquecida pelo Estado. É o setor privado quem vai garantir o sustento das famílias que não contam com nenhum tipo de auxílio do governo e, ainda, que vai propiciar o retorno de muitos profissionais ao mercado de trabalho, bem como, manterá funcionando a máquina pública"

Manifestantes também foram ao Parque dos Poderes por volta das 10h. (Foto: Kisie Ainoã)
Manifestantes também foram ao Parque dos Poderes por volta das 10h. (Foto: Kisie Ainoã)


Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário